ENTREVISTA2020-11-19T16:29:10+00:00

ENTREVISTAS

  • Canábis medicinal

Canábis medicinal. “A comparticipação é o melhor caminho, quer do ponto de vista financeiro quer da segurança”

|

Carla Dias, Presidente do Observatório Português de Canábis Medicinal (OPCM), aborda a importância da canábis medicinal no tratamento de determinadas patologias. Em entrevista ao SaúdeOnline, alerta, também, para a necessidade da comparticipação deste tratamento para se evitar, sobretudo, o recurso ao mercado ilegal.

“Reter dermatologistas no SNS é um desafio complexo que envolve várias abordagens”

|

Paulo Filipe, presidente da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV) e desta Reunião do Verão, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e diretor do Serviço de Dermatologia da ULS Santa Maria, aborda os desafios críticos que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) enfrenta para reter especialistas em Dermatologia. Ao fazer referência à Reunião do Verão, o dermatologista fala um pouco dos temas que serão abordados e agradece aos congressistas pela sua participação neste evento, que, tal como refere, “será uma oportunidade valiosa para se atualizarem sobre os últimos desenvolvimentos na Dermatologia e estabelecerem novas parcerias profissionais”.

  • Neurorreabilitação

Neurorreabilitação. “Temos doentes que receberam alta do SNS com a premissa de que já não podiam evoluir”

|

Em entrevista, José López Sanchez, diretor clínico do Centro Europeu de Neurociências (CEN), fala do trabalho desenvolvido pela instituição no tratamento de doentes que necessitam de recorrer a neurorreabilitação. Devido à atual situação vivida no SNS, o especialista afirma que existem mais doentes a recorrer ao setor privado, tanto por não terem resposta no público, como por lhes ser dito que não seria possível progredir no tratamentos das suas doenças.

  • João Gramaça

Cancro da bexiga. “Um doente com sintomas carece sempre de descartar uma infeção ou incontinência urinária

|

Maio é o mês da consciencialização para o cancro da bexiga. Em entrevista, João Gramaça, especialista em Oncologia Médica, fala da importância de não descurar os sintomas, que podem ser facilmente confundíveis com casos de incontinência ou de infeção urinária. Aborda ainda as opções de tratamento atuais, bem como o papel do HPV enquanto fator de risco neste cancro.

“Os internistas gostam de fazer urgência, mas as condições oferecidas são muito difíceis”

|

Lèlita Santos terminou o seu mandato como presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI). Em entrevista, falou do facto de cada vez menos jovens médicos optarem por ingressar na Medicina Interna, "não pela especialidade em si", mas pelas condições que lhes são oferecidas, nomeadamente no que diz respeito à "desorganização" dos serviços de urgência.

ENTREVISTAS MAIS LIDAS

Go to Top