18 Dez, 2019

“O país do faz de conta”. Testemunho de um médico ‘manietado’ pela burocracia

"É um abuso burocrático das equipas. Diria ainda mais: é mobbing", critica um médico de família, que denuncia falta de tempo para cumprir burocracia e ver doentes.

Num fórum da internet e no contexto da anunciada saída do Sindicato Independente dos Médicos (SIM) das reuniões de uma Comissão Técnica Nacional, e perante a defesa feita por alguns responsáveis dos procedimentos que o SIM denuncia, este sindicato decidiu tornar público o testemunho de um médico de uma USF:

Ninguém tem nada contra a contratualização (eu pelo menos não tenho).

Mas convém lembrar que há equipas, incluo a minha, que tem muita dificuldade em dar cumprimento a tudo o que é solicitado.

Temos 2 horas de reunião por semana e nessas reuniões temos que:

– analisar reclamações, sugestões, opiniões

– discutir aspectos burocráticos de articulação com o ACeS

– operacionalizar todas as fases da contratualização

– discutir aspectos de funcionamento (normal) do serviço

– discutir aspectos de funcionamento em épocas especiais, como a gripe

– operacionalizar formação interna

– operacionalizar partilha de formação

– discussão de casos clínicos problema do serviço

– fazer auditorias

– discutir inquéritos de satisfação de utentes e profissionais

– discutir os múltiplos mail que são enviados por parte do ACeS e da ARS, dos quais se incluem multiplos e-mails

– gerir a intersubstituição em caso de ausências para férias, formações externas, etc.

– discutir e aprovar procedimentos internos

– discutir boas práticas

– discutir os novos documentos que vão surgindo (guia Di-Or, operacionalização da contratualização,…)

– análise de indicadores e discutir e operacionalizar propostas de melhoria

– etc.

É impossível cumprir mais.

É um abuso burocrático das equipas.

Diria ainda mais: é mobbing

Não pode simplesmente dizer que quem cumpre tem incentivos e quem não cumpre não tem.

A estratégia da tutela está tomada: é não dar incentivos ou destruir o SNS por desgaste das equipas.

Tenho 2 internas que estão fortemente motivadas para abandonar o SNS após concluir o internato porque vêm o que a equipa sofre.

As equipas têm que optar entre: a) ver doentes e não cumprir a burocracia, b) gerir burocracia e não ver doentes ou c) fazer de conta que vêm doentes e inventar documentos avulso para fazer de conta que cumprem a burocracia.

Só a opção c) dá direito a incentivos, relembro…

É o país do faz de conta.

ler mais

RECENTES

ler mais