Estudo indica que há ligação entre gordura corporal e cancro de pele

A conclusão é de Pedro Coelho, investigador da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), que se dedicou ao assunto na sua tese de doutoramento “Obesidade e Melanoma – Explorando os Mecanismos Moleculares e Celulares, na área de Metabolismo – Clínica e Experimentação da FMUP”

Bioquímico de formação, Pedro Coelho conclui que a produção de moléculas do tecido adiposo é mais elevada no caso das pessoas obesas. “Os parâmetros de agressividade do tumor são agravados na presença dessas moléculas que vêm da gordura”, explica o investigador. Perante esta situação, as pessoas que apresentam maiores níveis de gordura corporal têm um maior risco de desenvolver cancro de pele e de reagir pior aos tratamentos prescritos.

O excesso de gordura no corpo traz mais problemas na renovação das células. Havendo dificuldade em eliminar as células defeituosas, há uma grande probabilidade de comprometer a terapêutica.

Para a realização do estudo, Pedro Coelho analisou, durante quatro anos, células de melanoma através de modelos de animais e contou com a colaboração de profissionais da Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto e do Serviço de Radioterapia do Hospital de São João do Porto.

Apesar de ainda não ter obtido um valor exato, o investigador revela que a tendência de a obesidade contribuir para o melanoma encontra-se entre os 17 e os 30%.

O próximo passo da investigação vai incidir sobre as alterações produzidas nos melanomas e de que forma se pode controlar esse processo para evitar a resistência ao tratamento.

SO/SF

 

 

ler mais

RECENTES

ler mais