9 Abr, 2020

Doentes com DPOC e fumadores têm risco aumentado de desenvolver casos graves

Estudo conclui que doentes com DPOC e atuais fumadores correm maior risco de desenvolver complicações graves em caso de infeção com covid-19.

A European Lung Foundation deu hoje a conhecer um estudo que mostra que os doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) e ex-fumadores têm um risco acrescido de desenvolver complicações graves em caso de infeção com covid-19.

No estudo, publicado no European Respiratory Journal, conclui-se que os doentes com DPOC e atuais fumadores possuem níveis mais altos da enzima conversora da angiotensina II (ECA-II), que aumenta o seu risco de vir a ter complicações graves em caso de infeção por covid-19.

“Os dados recolhidos na China sugerem que pacientes com DPOC correm maior risco de ter casos mais graves quando infetados com covid-19. Por isso, colocámos a hipótese de que isso ocorre porque os níveis de ECA-II nas vias aéreas estão aumentados em comparação com pessoas sem DPOC“, explica Janice Leung, especialista da universidade British Columbia e do St. Paul’s Hospital, em Vancouver, no Canadá.

A equipa de investigadores estudou amostras retiradas dos pulmões de 21 pacientes com DPOC e 21 sem a doença, medindo em todos eles o nível de ECA-II e comparando-o em pessoas que nunca fumaram, fumadores ativos e ex-fumadores.

Os resultados obtidos mostraram que não só os doentes com DPOC têm níveis mais altos de ECA-II, como estes níveis eram também mais altos em fumadores ativos.

Por isso, sublinha a médica, “pacientes com DPOC devem respeitar estritamente o distanciamento social e fazer uma higiene adequada das mãos para evitar infeções“.

O novo estudo mostra também que os níveis de ACE-II em ex-fumadores são inferiores aos registados junto de fumadores ativos, o que leva Janice Leung a afirmar que este pode ser o momento ideal para deixar de fumar.

“Descobrimos que ex-fumadores tinham níveis semelhantes de ACE-II aos de pessoas que nunca fumaram, o que sugere que este pode ser o melhor momento para parar de fumar e proteger-se da covid-19″, aconselha.

SO/LUSA

 

 

[box] Notícias Relacionadas:

Mais de 50% dos doentes com DPOC em tratamento permanecem sintomáticos

“Muitas vezes é o doente que não faz a medicação, ou não a faz corretamente”, alerta a pneumologista Paula Pinto. Várias entidades lançam campanha sobre o tema.

DPOC. “Só 2% dos doentes têm acesso à reabilitação respiratória”

“Há um problema de organização dos serviços de saúde respiratória” e faltam centros especializados em Portugal, alerta a Dra. Isabel Saraiva, vice-presidente da associação Respira. 1.ª edição do Prémio Luísa Soares Branco premeia projeto nesta área.

Diagnóstico da DPOC dificultado. “Metade dos centros de saúde não tem espirómetros”

Falta de espirometrias é um dos problemas mas há outros obstáculos ao diagnóstico, alerta o médico pneumologista Nuno Pires, do Hospital de Barcelos – que tem uma parceria com os centros de saúde da região nesta área.

DPOC afeta 800 mil portugueses. Só 15% sabe que tem a doença

Hoje, o Centro Comercial Amoreiras recebe uma exposição de sensibilização para o peso social da doença e uma ação de rastreio, através da realização de espirometrias.

[/box]
ler mais

RECENTES

ler mais