22 Ago, 2018

China abate milhares de porcos para tentar travar propagação da peste suína

A China produz anualmente 600 milhões de porcos e a carne de porco é parte essencial da cozinha chinesa, compondo 60% do total do consumo de proteína animal no país.

A China está a combater um surto da peste suína africana, detetado em três áreas do país, suscetível de afetar a produção de carne de porco no maior produtor do mundo, de acordo com o ministério da Agricultura chinês.

Milhares de porcos morreram ou foram abatidos, num esforço para travar a doença, que é altamente contagiosa, e só afeta porcos e javalis.

O surto surge numa altura em que a China tenta deslocar a criação de porcos das fazendas para operações em larga escala, onde o desperdício e a propagação de doenças são mais fáceis de controlar.

A flutuação do preço daquela carne é sensível e o governo guarda uma grande quantidade congelada, para pôr no mercado quando os preços sobem.

Na cidade de Lianyungang, leste do país, 15.000 porcos foram abatidos, depois de um surto ter sido detetado, na semana passada, segundo o ministério da Agricultura. As autoridades detetaram 615 porcos infetados, entre os quais 88 morreram.

Estão a ser tomadas medidas para desinfetar áreas contaminadas e impedir que a doença se espalhe.

No início deste mês, em Shenyang, no nordeste do país, foi reportado o primeiro surto da doença, com 47 porcos infetados, e que acabaram por morrer.

Outros 30 porcos foram encontrados mortos devido ao vírus, em Zhengzhou, no centro do país, para onde foram transportados desde Jiamusi, no extremo norte da China.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais