22 Mar, 2018

Baixa contagem de espermatozóides pode indiciar outros problemas de saúde

Os homens com baixa contagem de espermatozóides apresentam um risco 12 vezes maior de hipogonadismo, ou baixos níveis de testosterona. Metade dos homens com baixos níveis de testosterona evidenciava ainda osteoporose ou baixa densidade óssea, que pode ser um precursor da osteoporose.

Um estudo realizado por investigadores da Universidade de Padova, em Itália, cujos resultados foram divulgados recentemente, demonstrou que a contagem de espermatozóides constitui um marcador do estado de saúde geral e a baixa contagem um indicador de outros problemas de saúde.

Os resultados do estudo, foram apresentados no congresso anual ENDO de 2018 da Sociedade de Endocrinologia Norte-Americana em Chicago, EUA.

O estudo que foi o maior até agora realizado sobre o tema, teve como objetivo avaliar a qualidade do sémen, a função reprodutora e o risco metabólico em 5.177 homens italianos que tinham sido referenciados para uma avaliação de fertilidade.

Os investigadores Alberto Ferlin, Carlo Foresta e colegas descobriram que cerca de metade dos homens apresentavam uma baixa contagem de espermatozóides, assim como uma probabilidade 1,2 vezes maior de possuírem mais gordura corporal, tensão arterial mais elevada, colesterol LDL (ou mau) e triglicerídeos, e menor colesterol HDL (ou bom) do que aqueles com uma contagem normal.
Os pacientes com uma contagem de espermatozóides reduzida evidenciavam ainda uma maior frequência de síndrome metabólica, resistência à insulina, assim como outros fatores de risco que fazem aumentar a probabilidade de se desenvolver diabetes, doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC).

Finalmente, os homens com baixa contagem de espermatozóides apresentavam um risco 12 vezes maior de hipogonadismo, ou baixos níveis de testosterona. Metade dos homens com baixos níveis de testosterona evidenciava ainda osteoporose ou baixa densidade óssea, que pode ser um precursor da osteoporose.

“O nosso estudo demonstra claramente que a baixa contagem de espermatozóides por si só está associada a alterações metabólicas, risco cardiovascular e baixa densidade óssea”, concluiu Alberto Ferlin, que foi o investigador principal deste estudo.

ler mais