28 Out, 2019

Miguel Guimarães: “Se pudesse, tinha demitido imediatamente o conselho [disciplinar] do Sul”

Em entrevista ao jornal Expresso, o bastonário dos médicos endurece o discurso e critica o órgão responsável por analisar as sucessivas queixas contra o médico Artur Carvalho.

Miguel Guimarães vai reunir-se esta segunda-feira com os três conselhos disciplinares do país para tentar apurar o que correu mal no caso do médico obstetra Artur Carvalho, alvo de várias queixas nos últimos anos mas que nunca foi suspenso pela Ordem dos Médicos.

O bastonário pede “desculpa ao portugueses” e confessa que, se tivesse poderes para tal, teria afastado já o conselho disciplinar do Sul, o órgão responsável por analisar as queixas contra o referido médico. “Os conselhos disciplinares funcionam como os tribunais, com independência do poder executivo, e o bastonário e o Conselho Nacional da OM não têm influência”, explica Miguel Guimarães, ao Expresso.

O bastonário espera que, agora que o médico se encontra suspenso por seis meses, o processo se desenrole de forma célere e revela também que já pediu reuniões com a Administração Regional de Saúde de LIsboa e Vale do Tejo e com a Entidade Reguladora da Saúde, “instituições a quem compete fiscalizar” as clínicas – nomeadamente a EcoSado, onde Artur Carvalho dava consultas e realizava ecografias, ao mesmo tempo que trabalhava no Hospital de São Bernardo, em Setúbal.

Miguel Guimarães revelou ainda que vai avançar um plano de recuperação dos processos por resolver na região Sul (a mais problemática) e onde existem 1400 queixas pendentes.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais