SaudeOnline.pt / Med-Interna / med-interna-entrevistas

“O impacto da pandemia hoje já é suficiente para desviar recursos das atividades regulares dos hospitais”

Em entrevista exclusiva, o presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares alerta para o desgaste dos profissionais e pede planeamento, para evitar que muitas pessoas se desloquem às urgências "com pequena sintomatologia e para realizar teste ao SARS-CoV-2", como tem vindo a acontecer.

“Todos os doentes que sofrem um EAM devem fazer reabilitação cardíaca”

A coordenadora do Centro de Prevenção e Reabilitação Cardiovascular do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte e da Faculdade de Medicina de Lisboa, Ana Abreu, defende ser necessário criar mais centros de reabilitação cardíaca, e otimizar a referenciação.

  • SPMI, saúde

“A Consulta Externa não resolve o problema dos doentes crónicos graves”

Ao SaúdeOnline, o presidente cessante da SPMI João Araújo Correia realça que "é responsabilidade dos hospitais criar áreas abertas de atendimento para os doentes crónicos graves em seguimento" e explica a sua visão do que deve ser o hospital do futuro.

AVC. Acesso à reabilitação foi afetado pela pandemia e dificuldades mantêm-se

Em entrevista, a neurologista e diretora do Serviço de Neurologia do Hospital de São João afirma que a "a adequação às normas de segurança [relacionadas com a pandemia] levou a uma diminuição do número de utentes tratados". Cerca de 35% dos sobreviventes têm necessidade de reabilitação precoce intensiva.

“A tendência é que a IC venha a aumentar a sua expressão”

O envelhecimento da população e a pandemia da “diabesidade” são fatores que contribuem para aumento da prevalência da insuficiência cardíaca, diz o coordenador do Grupo de Estudo de Insuficiência Cardíaca da Sociedade Portuguesa de Cardiologia.

Gestão conjunta do doente crónico pela MI e MGF tem de ser a “forma natural de trabalhar”

Ao SaúdeOnline, a presidente do 27º Congresso Nacional de Medicina Interna, que arranca este sábado (em Vilamoura e em formato virtual) espera que o evento seja "um sucesso" e admite que a abordagem conjunta da MI e MGF ao doente crónico possa demorar "duas gerações" a concretizar-se em pleno.

Novo paradigma no tratamento do VIH. “Melhoria da qualidade de vida parece ser real”

Os novos regimes terapêuticos trouxeram um ganho significativo para a qualidade de vida dos doentes, diminuindo a toxicidade e interagindo menos com a restante medicação para as diferentes comorbilidades, refere o infecciologista do Centro Hospitalar e Universitário de Lisboa Central.

VIH. Esquema terapêutico deve adequar-se “ao estilo de vida do doente, comorbilidades e comedicações”

Numa época em que a resposta terapêutica aos doentes com infeção por VIH se faz com fármacos cada vez mais potentes, eficazes e bem tolerados, a personalização do tratamento é fundamental para garantir uma boa qualidade de vida aos doentes, sublinha a infeciologista do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, em declarações ao SaúdeOnline.

João Gouveia. “Muitos doentes morreram por causa da não expansão da Medicina Intensiva”

Em entrevista exclusiva, o coordenador da Comissão de Acompanhamento da Resposta Nacional em Medicina Intensiva admite que “houve atrasos” na expansão das camas de cuidados intensivos em algumas regiões.

  • vih

VIH. Doentes regressaram às consultas com maiores níveis de ansiedade e tristeza

Em entrevista, a internista e responsável pela consulta VIH do Hospital de Cascais sublinha que os doentes voltaram às consultas presenciais, “no geral, mais ansiosos, mais tristes, com maiores problemas de sono, para além de mais sedentários e mais pesados”. Numa altura em que as síndromes depressivas e a doença psiquiátrica crescem à boleia da pandemia, a especialista alerta que a escolha da TARV “a utilizar deve ser criteriosa” nos doentes com VIH e depressão e doença psiquiátrica prévias.

Go to Top