Regimes de dois fármacos: presente e futuro do tratamento do VIH

Regimes de dois fármacos: presente e futuro do tratamento do VIH

Os regimes de dois fármacos têm mostrado eficácia comparável à terapêutica tripla convencional em ensaios clínicos, apresentando, regra, geral, uma diminuição da toxicidade, dos efeitos adversos e dos custos. Foi esta a principal conclusão que saiu do simpósio “Regimes de 2 Fármacos: Pensar o Futuro, Atuar no Presente”, organizado pela farmacêutica ViiV HealthCare, e que teve como oradores os médicos infeciologistas José Poças, Nuno Luís e Federico Pulido.

Tratamento do VIH em Populações “Especiais”

Tratamento do VIH em Populações “Especiais”

A nível global estima-se que cerca de 40% das novas infeções ocorram entre os 14 e os 24 anos (UNAID, 2017). Em Portugal cerca de 50% dos novos casos foram diagnosticados entre os 15 e os 34 anos (DGS, 2017), englobando assim adolescentes e adultos jovens. um grupo com características muito particulares que devem ser tidas em conta para garantir o sucesso terapêutico.