Síndrome do Ovário poliquístico afeta 10 a 15% das mulheres

Esta síndrome não tem cura, mas pode ser tratada e controlada, sublinha a médica ginecologista e especialista em Medicina da Reprodução.