2 Nov, 2021

Fertilidade: a importância de gerir o stress e ter hábitos saudáveis

A Semana Europeia da Fertilidade assinala-se entre 1 e 6 de fevereiro e ambiciona alertar para os hábitos que contribuem para a sua estimulação.

A propósito da Semana Europeia da Fertilidade, que se assinala entre 1 e 6 de novembro, os especialistas alertam para a importância de o casal saber gerir o stress associado e de manterem hábitos saudáveis para a saúde física e mental dos envolvidos.

“É extremamente importante relaxar e gerir o stress durante o período em que o casal tenta uma gravidez, não só pela saúde do próprio casal, como pela própria relação que deve estar ainda mais fortalecida nesta altura”, revela a médica ginecologista Catarina Godinho.

Segundo explica, a infertilidade é uma condição muito comum, no sentido em que pode afetar cerca de 10 a 15% dos casais e 30% dos casos podem estar relacionados com causas femininas e outros 30% com causas masculinas. Ainda, 20% podem ter causas mistas e outros 20% inexplicáveis. “Quando não há uma explicação aparente para a infertilidade, a ciência, em combinação com alguns conselhos que passam, por exemplo, pela adoção de um estilo de vida mais saudável, podem favorecer uma gravidez”.

De acordo com a sua opinião e prática clínica, “o estilo de vida que se vive em grandes cidades, com muito stress, alimentação pouco variada e com recurso a fast-food, aliada à falta de atividade física, leva-nos a problemas de excesso de peso e obesidade, o que tem um impacto negativo na fertilidade”. Tal como acrescenta, também o consumo de tabaco e de álcool prejudica a fertilidade tanto dos homens e mulheres.

Perante estes dados, Catarina Godinho aconselha que é fundamental que os casais se divirtam, que possam sair com amigos ou programar passeios a dois, para que possam aliviar alguma pressão que possam estar a sentir em torno da gravidez. “Por vezes o casal está tão focado na gravidez e nas mudanças que a maternidade implica que se esquece de outros aspetos da vida que são essenciais para manter o equilíbrio do corpo e da alma”, diz.

Também a atividade física é essencial, uma vez que produz benefícios cardiovasculares, metabólicos, endócrinos e neurológicos, sendo que a própria escolha dos alimentos ingeridos deve ser tida em conta, uma vez que os processados devem ser evitados e deve ser dada primazia aos naturais e à adoção de uma dieta variada que inclua vitaminas e minerais associados à fertilidade, como o ácido fólico, ácido docosahexaenóico e as vitaminas B, C, D e E.

Do mesmo modo, manter um ciclo de sono saudável é fundamental, para que o corpo possa receber o descanso adequado ao seu funcionamento. Ainda, os medos e ansiedades devem ser partilhados, para que o casal possa sentir um alívio em relação à pressão que colocam em ambos.

ler mais

RECENTES

ler mais