“À luz da evidência atual, nenhuma terapêutica anti-hipertensora deve ser alterada devido à pandemia”

O especialista alemão procurou esclarecer as suspeitas – vindas a lume no início da pandemia – em torno de um potencial risco acrescido de infeção por SARS-CoV-2 associado à utilização de inibidores do SRAA em doentes com HTA.