SaudeOnline.pt / ON Cardiologia

João Morais. “Não é por ser idoso que não se faz terapêutica anticoagulante”

A terapêutica de anticoagulação no doente geriátrico nem sempre foi possível. Atualmente, é uma opção importante para prevenir acidentes cardiovasculares, segundo João Morais, diretor do Serviço de Cardiologia do Centro Hospitalar de Leiria.

Doente geriátrico. “Os cuidados de saúde primários são fundamentais na preservação da autonomia”

Mariana Alves, médica internista no Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, alerta, em entrevista, para o acompanhamento do doente geriátrico. Face à complexidade destes doentes, com multipatologia, considera que os cuidados de saúde primários têm um papel "fundamental" no controlo das várias comorbilidades que aumentam risco de doença cardíaca. Alerta ainda para a "cascata iatrogénica" por causa da polimedicação.

“AVC é a principal causa de morte e de incapacidade da população portuguesa”

Os acidentes vasculares cerebrais continuam a ser a principal causa de morte em Portugal, segundo indicam os dados deste ano do Instituto Nacional de Estatística. Manuel Carrageta, presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia, alerta para a importância da adoção de hábitos de vida saudável e para o diagnóstico precoce de algumas patologias que aumentam o risco de AVC.

“É preciso estar atento aos estilos de vida menos saudáveis dos utentes, alertando-os para os riscos associados”

Francisco Araújo é Coordenador do Departamento de Medicina Interna do Hospital Lusíadas Lisboa e, em entrevista, fala sobre os fatores de risco de AVC. Hoje assinala-se o Dia Mundial do AVC, uma das principais causas de morte e morbilidade em Portugal.

Doença coronária. “Os quatro principais fatores de risco continuam por controlar”

A doença coronária atinge quase meio milhão de portugueses. Em entrevista, o presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia acredita que há espaço para diminuir a prevalência da doença através de um melhor controlo dos principais fatores de risco - tabagismo, diabetes, hipertensão arterial e hipercolesterolemia. Lino Gonçalves defende um aumento da interação da Medicina Geral e Familiar com a medicina hospitalar para a aumentar a deteção precoce da doença coronária.

Go to Top