19 Nov, 2019

Fecho da urgência pediátrica noturna no Garcia de Orta é temporário

A ministra da Saúde assegurou que o encerramento à noite da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, é temporário e que tentará que a situação “dure o menos tempo possível”.

“A posição do Hospital Garcia de Orta, sendo um hospital de tampão para a península de Setúbal, é um hospital que tem de ter a urgência noturna aberta”, afirmou Marta Temido, na tarde de ontem,  no âmbito de uma visita ao centro de saúde Rainha Dona Leonor, em Almada, que está aberto até mais tarde para tentar suprir a falta da urgência pediátrica hospitalar.

À chegada ao centro de saúde, onde foi interpelada por utentes sobre a situação do Garcia de Orta, a ministra indicou que o encerramento no período noturno da urgência pediátrica é uma situação que se deseja que se mantenha pelo “menor tempo possível”.

Marta Temido assegurou que continuam a procurar pediatras interessados em trabalhar no Garcia de Orta, admitindo que a contratação de mais dois especialistas ainda não é suficiente.

“Se houver pediatras amanhã para contratar, mais do que aqueles dois que já estão autorizados, serão contratados”, afirmou Marta Temido, perante cerca de uma dezena e meia de utentes que aguardavam a chegada da ministra ao centro de saúde.

A ministra visitou a equipa daquele centro de saúde que assegura o atendimento das crianças até às 00:00 e admitiu que a contratação de dois pediatras, que se vão juntar a outros quatro que fazem urgência noturna no Garcia de Orta, “não é suficiente”.

“Temos duas épocas no ano em que recém-especialistas entram no mercado. Isso não invalida que daqui até lá não estejamos, por todos os meios à disposição, a tentar fazer contratos. Se aparecerem pediatras antes, a resposta será mais célere”, explicou Marta Temido.

Indicando que há “falta de pediatras no país”, a governante lembrou que será feita uma reorganização das urgências pediátricas da área metropolitana de Lisboa, mas vincou que o Garcia de Orta terá de ter a urgência noturna aberta.

A ministra reconheceu que o encerramento temporário da urgência pediátrica no período entre as 20:00 e as 08:00 foi uma solução encontrada depois de outras terem falhado.

Segundo Marta Temido, foi solicitado o apoio a hospitais privados, para um “empréstimo” de recursos, bem como foi avaliada a possibilidade de protocolos com a União das Misericórdias Portuguesas, mas nenhuma dessas vias acabou por ser possível.

Os serviços de atendimento complementar nos centros de Saúde Rainha D. Leonor (Almada) e Amora (Seixal), passaram desde esta semana a funcionar de segunda a sexta das 20:00 às 24:00 e das 10:00 às 22:00, aos sábados, domingos e feriados. Esta medida tem como principal objetivo reforçar o atendimento das crianças habitualmente atendidas no Garcia de Orta.

A ministra da Saúde referiu, a título de exemplo, que no último fim de semana, o centro de saúde de Almada atendeu mais de 80 crianças e apenas uma teve necessidade de ser encaminhada para um serviço de urgência.

“Tenho a certeza de que as crianças que vierem aqui terão um atendimento de qualidade. Se for necessário encaminhar para outro sítio, isso será feito”, afirmou Marta Temido.

Depois da meia-noite, quando também deixa de haver a alternativa do centro de saúde, a ministra recomenda aos pais um contacto com a linha SNS 24, através do 808 24 24 24.

A falta de especialistas afeta o hospital Garcia de Orta há mais de um ano, quando saíram 13 profissionais, e, segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque “ninguém concorreu”.

Devido à falta de especialistas, a urgência pediátrica daquela unidade hospitalar de Almada começou por fechar todos os fins de semana em outubro, entre o final de sexta-feira e a manhã de segunda-feira. Desde ontem, este serviço passa a estar encerrado diariamente no período noturno, entre as 20:00 e as 08:00.

LUSA/SO

ler mais

RECENTES

ler mais