11 Fev, 2021

Antigos bastonários “revoltados” e envergonhados com Ana Rita Cavaco

Ex-bastonários dizem que discurso usado nas redes sociais é "desrespeitoso e mal educado". Grupo de enfermeiros pede à Ordem que expulse a bastonária.

Ana Rita Cavaco está debaixo de um coro de críticas dirigidas por ex-bastonários da Ordem dos Enfermeiros (OE), que dirige. Em causa estão declarações recentes sobre a vacinação de responsáveis políticos e ofensas contra um comentador proferidas pela atual bastonária.

A antiga bastonária da OE Maria Augusta Sousa afirma ter vergonha das posições assumidas publicamente por Ana Rita Cavaco. “Não é compreensível que uma bastonária possa assumir posições públicas que são de ofensa a outros“, disse, em declarações à TSF. “É isto que me põe um pouco revoltada e mesmo com vergonha, como muitos colegas meus”.

Maria Augusta Sousa pede, assim, a intervenção do conselho jurisdicional da OE, perante as posições públicas da atual bastonária, que considera lesivas da própria OE e de todos os enfermeiros e que vêm denegrir a profissão.

 

“Nunca a OE foi tão humilhada e desacreditada”

 

Um processo disciplinar interno contra a bastonária é também o que defende o seu antecessor no cargo, Germano Couto, que dirigiu a Ordem até 2015, quanto Ana Rita Cavaco tomou posse. “É por demais evidente que a bastonária violou deveres deontológicos. Nunca como agora a OE foi tão humilhada e desacreditada“, lamenta Germano Sousa, em declarações ao JN.

Esta quinta-feira um grupo de enfermeiros avançou mesmo com participação disciplinar contra a bastonária. Os signatárias pedem a aplicação da sanção máxima, a expulsão. “A violação de tais deveres deontológicos é de tal forma grave e danosa da imagem e reputação públicas da Ordem e da profissão de enfermeiro, que, no entendimento dos signatários justifica a aplicação da pena disciplinar máxima, isto é, a expulsão”.

Recorde-se que Ana Rita Cavaco fez uma publicação numa rede social em que classifica o secretário de Estado que coordena no Algarve o combate à Covid-19 Jorge Botelho e a mulher, Margarida Flores, como “fura filas e chicos espertos” por alegadamente terem sido vacinados indevidamente contra a Covid-19.

“Pegou nelas, dizem, na família e nuns amigos socialistas e toca a fazer da fura filas e chicos espertos a tomar a vacina. Se assim for, a quantidade de trastes por metro quadrado no país que é pequenino, está insuportável! Oh criaturas horrorosas, fina flor do entulho! Que gente é esta meu Deus. Atenção, dizem…”, escreveu Ana Rita Cavaco na sua página do Facebook, a 31 de janeiro. Entretanto, o governante já anunciou que apresentou queixa pelo “crime de difamação agravada” contra Ana Rita Cavaco.

Para além disto, a bastonária reagiu à vacinação  da presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, tecendo duras críticas à autarca e chamando-lhe mesmo “gorda fura filas”. Também o jornalista e comentador Daniel Oliveira foi classificado como “esterco” pela bastonária. “Um esterco que fala de mim para ter palco e nunca ganhou umas eleições na vida. Pois eu já, duas vezes. A última com maior votação de sempre”, referiu Ana Rita Cavaco no Facebook, acrescentando ainda: “E não existem sobras de vacinas, seu esterco. Defensor de fura filas. Aprende a não falares do que não sabes, não é a tua área. A tua área é mais vigarices com graus académicos. Eu sou mestre, tu não”.

Também nas redes sociais chamou “traste” ao presidente da Assembleia Municipal de Arcos de Valdevez: “Este cavalheiro […] veio dizer que sou demagógica porque o acusei de fazer vacina sem ser prioritário e ter dado uma desculpa de chico esperto. Fixem-no bem, tenho costela minhota, venha cá abaixo falar-me sem demagogia seu traste”.

Os signatários que pedem agora a expulsão da bastonária dizem que o “vernáculo que a Senhora Enfermeira Ana Rita Cavaco usa nas suas publicações no Facebook, em página que a identifica como Bastonária da OE, é indigna de um dirigente máximo de uma associação pública profissional, degradando gravemente a sua reputação e perceção públicas”.

Transmite “a imagem pública de que a OE insulta quem quer, como quer e porque quer…”, lê-se na missiva enviada ao Conselho Jurisdicional da OE.

Para o ex-bastonário Germano Sousa, o discurso usado é “desadequado, rude, desrespeitoso, insolente e mal educado”.

Ana Rita Cavaco também não se coíbe de ameaçar colegas de profissão, dizem os signatários do processo disciplinar. “Nessa sua página de Facebook, a Senhora Enfermeira Ana Rita Cavaco escreveu, em 11 de Dezembro de 2020, reportando-se à senhora enfermeira Leila Sales, tratar-se de uma “uma Leila qualquer”, imputando-lhe o recrutamento de voluntários para eventual participação na vacinação contra a covid-19 “. E acrescentam que nesse escrito lê-se ainda: na Ordem dos Enfermeiros “[…] a cadeia de comando é clarinha como água e terei mão extremamente pesada para invenções ou más intenções. Num processo tão sério e importante não haverá espaços para parvoíces ou voluntarismos de pessoas com outras intenções. Fica o aviso”. Para os signatários, esta publicação representou uma ameaça a outra enfermeira.

Notícias relacionadas

Bastonária quer enfermeira-diretora do São João julgada por a tentar agredir

ler mais

RECENTES

ler mais