26 Fev, 2021

Instante 2, a Apatia

Por: Fernanda Mendes Barata

 

 

Continuo a meditar e pouco mais. Perdi a vontade de tomar banho. Sempre que penso em despir-me, vestir-me e demais gestos que se mostram inúteis, escorre-me o suplício do cansaço. Medito apenas e não existo.

Galgaram um punhado de dias neste confinamento e eu ainda deitada, quieta, sem conseguir ver passar nem medo nem destemor, nem alento ou aflição, caída no buraco duma branda voz judicativa que chama de longe, “levanta-te”, “levanta-te”, mas nada acontece se não o mesmo brotar de todas as mesmas meias noites de todos os dias seguintes.

Li nas redes sociais: a culpa é da China. Dos EU. Da OMS. Da Europa. Do surdo. Do mudo. Do entendido e do ignorante. Do mundo e do fundo de todas as dobras de todos os Continentes, brotam os réus e todos se esgueiram em fuga reclamando: não fui eu.

Lá fora: morrem muitas pessoas e alguém disse: é uma teoria da conspiração.

 

Por: Fernanda Mendes Barata

ler mais

RECENTES

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ler mais