24 Jan, 2022

Fórmula probiótica é eficaz a combater os primeiros sintomas de covid-19, diz estudo

Estudo mostrou que a fórmula probiótica AB21 é eficaz na redução da duração e gravidade dos sintomas da covid-19, bem como da carga viral associada.

A fórmula probiótica AB21, composta por Pediococcus acidilactici CECT 7483 (KABP021) combinada com L. plantarum CECT 7484 (KABP022), L. plantarum CECT 7485 (KABP023) e L. plantarum CECT 30292 (KABP033), é eficaz a combater os primeiros sintomas de COVID-19, reduzindo a duração e gravidade dos mesmos, a carga viral e melhorando a qualidade de vida em pacientes em regime de ambulatório, de acordo com um estudo publicado na revista Gut Microbes.

Tendo em conta os resultados deste trabalho, os autores, dirigidos por Dr. Pedro Gutiérrez-Castrellón, do Hospital General Dr. Manuel Gea González, na Cidade de México, recomendam a toma de AB21, que combina quatro estirpes probióticas específicas, como resposta aos primeiros sinais de infeção por COVID-19.

O estudo demostrou que a AB21 reduz a carga viral nasofaríngea, as infiltrações pulmonares e a duração dos sintomas digestivos e não digestivos. Foram analisados 293 pacientes com COVID-19 e com sintomas leves, divididos em dois grupos. A um dos grupos foi administrada a fórmula probiótica durante 30 dias, uma vez por dia. Os investigadores avaliaram critérios clínicos, como a taxa de remissão e a duração dos sintomas; biomarcadores nasofaríngeos e séricos e o impacto de fórmula no microbioma dos doentes.

A suplementação com probióticos, que foi bem tolerada, reduziu a carga viral nasofaríngea, as infiltrações pulmonares e a duração dos sintomas digestivos e não digestivos em comparação com o grupo de placebo.

Não se detetaram alterações significativas na composição da microbiota fecal, mas a suplementação com probióticos aumentou significativamente os anticorpos IgM e IgG específicos contra o SARS-CoV-2. Os autores sugerem que a fórmula probiótica em causa atuou no eixo intestino-pulmão através do sistema imunitário do hospedeiro, ao invés de alterar a composição da microbiota intestinal.

Os probióticos devem ser vistos como uma terapêutica coadjuvante, não só no tratamento da COVID-19, como também no de outras doenças causadas por infeções respiratórias. Os doentes com infeção respiratória candidatos a AB21 são principalmente doentes frágeis, com patologia respiratória de base, comorbilidades e com registo de múltiplos episódios de infeção respiratória vírica durante o período de inverno.

A fórmula probiótica AB21 encontra-se comercializada em Portugal desde junho de 2021.

COMUNICADO/SO

ler mais

RECENTES

ler mais