“Daremos autorização para todas as contratações de que o hospital necessite e sejam adequadas”, afirmou Adalberto Campos Fernandes no parlamento, depois de ser questionado pelo PCP sobre a situação no Hospital Fernando Fonseca.

A direção clínica e diretores de serviço do Hospital Fernando Fonseca decidiram na semana passada que iam demitir-se. Desconforto crescente em torno das dificuldades para contratação de pessoal, que pode ser agravado com a imposição de reduzir em 35% os gastos com médicos tarefeiros, esteve na origem da decisão.

O ministro disse que aqueles profissionais puseram o lugar à disposição mas que se mantêm em funções.

“Foi uma chamada de atenção que será apoiada. Não vemos nenhum mal nessa tomada de posição”, disse Campos Fernandes.

LUSA/SO/CS