14 Fev, 2020

Atendimentos nas urgências batem máximos de seis anos

Ministério da Saúde volta a não cumprir objetivo e prevê agora para 2020 uma redução dos episódios de urgência.

No ano passado, registaram-se cerca de 6,4 milhões de atendimentos de urgência em serviços hospitalares, mais 60 mil do que em 2018, segundo os últimos dados que constam do Portal da Transparência do SNS. Esta evolução contraria a intenção do governo, que esperava uma queda neste tipo de atendimentos já em 2019.

Para este ano, o Ministério da Saúde, liderado por Marta Temido, volta a prever uma redução nas consultas de urgência na ordem dos 3%, o que representa 190 mil atendimentos a menos, avança o jornal Público. A acontecer, esta diminuição poderia garantir uma poupança de 40 milhões de euros ao SNS.

A intenção de reduzir o número de atendimentos urgentes é antiga mas a verdade é que o problema da grande procura pelos serviços de urgências não só se tem mantido, como se tem vindo a agravar nesta legislatura. Para evitar as longas esperas e o frequente incumprimentos dos tempos máximos de espera estipulados para a observação médica, alguns hospitais na região Norte têm vindo e encaminhar doentes triados com pulseira azul ou verde para os centros de saúde mais próximos. Exemplo disso são os hospitais de Gaia, o São João (no Porto), ou o Hospital de Barcelos.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais