22 Nov, 2021

Recursos médicos e vagas em enfermaria “no limite” no Hospital de Portalegre

"Estamos no limite dos recursos médicos que temos, nem sei como conseguiríamos mobilizar mais recursos”, alerta o diretor do Serviço de Urgência.

A Ordem dos Médicos alertou que os recursos médicos e as vagas em enfermaria no hospital de Portalegre (Hospital Dr. José Maria Grande) estão no “limite”, receando a resposta que possa vir a ser dada caso aumentem os internamentos por covid-19.

“Se houver outra vez um aumento dos casos de covid com necessidade de internamente, não sei, vamos ter de aumentar o número de vagas da enfermaria”, as quais, “entretanto, estão ocupadas com doentes normais”, alertou à agência Lusa o presidente do Conselho Sub-regional de Portalegre da Ordem dos Médicos, Hugo Capote.

De acordo com o responsável, também diretor do Serviço de Urgências do hospital, as duas últimas semanas têm sido “muito más”, com “muitos doentes internados”, com “sobrelotação de doentes” naquele serviço da unidade hospitalar.

No entanto, Hugo Capote considerou “normal” esta situação, atendendo a esta fase do ano, que traz consigo o frio e o surgimento de doenças respiratórias.

“Espero que não tenhamos uma sobrecarga, para além disto, com doentes covid com necessidades de internamento. Estamos no limite dos recursos médicos que temos, nem sei como conseguiríamos mobilizar mais recursos”, acrescentou.

Hugo Capote alertou ainda que, caso venha a surgir uma nova vaga de covid-19, o hospital de Portalegre terá de “limitar serviços” para poder disponibilizar mais vagas para internamento.

“À medida que deixamos de ter doentes covid, as enfermarias covid que tivemos começaram a ser utilizadas por doentes normais. Se voltarmos a ter doentes covid, esses doentes que estão nessas camas vão ter de ser colocados noutro lado qualquer”, alertou.

E, “atualmente, estamos no limite, já não temos essas vagas nas enfermarias e esses doentes já são internados em corredor”, avisou.

Contactada pela Lusa, Vera Escoto, diretora clínica da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), na qual o hospital esta integrado, reconheceu que tem havido um “aumento” do afluxo ao Serviço de Urgências, sublinhando que este tem sido “idêntico” ao que ocorre em outros hospitais do país.

“O aumento de afluxo ao Serviço de Urgência do Hospital Dr. José Maria Grande (Portalegre) que se tem verificado tem sido idêntico ao que ocorre a nível nacional, que leva a sobrecarga das urgências”, disse a representante da administração, numa declaração lida à Lusa.

Vera Escoto indicou ainda que a afluência ao hospital de pessoas com covid-19 e de suspeitos desta doença tem sido “muito inferior” à verificada no período homólogo, ou seja em 2020, fruto dos “bons índices” de vacinação no distrito de Portalegre.

“A ULSNA tem o seu plano de contingência que prevê a otimização de esforços e recursos humanos de acordo com as situações que vão ocorrendo. Somos uma ULS no interior do país, onde existe falta de recursos humanos, como de camas de internamento, de agudos e Unidade de Cuidados Intensivos (UCI)”, acrescentou.

A diretora clínica disse ainda que, no seio da ULS, “existiu sempre uma boa cooperação” entre s hospitais de Portalegre e de Elvas, para oferecer aos utentes “os melhores serviços”.

De acordo com o boletim epidemiológico da ULSNA divulgado hoje, há registo de 126 casos ativos de covid-19 no distrito de Portalegre, estando apenas dois doentes internados.

LUSA

Notícia Relacionada

Alentejo em dificuldades. Enfermaria “lotada” em Portalegre e UCI cheia em Beja

ler mais

RECENTES

ler mais