6 Out, 2022

Primeira consulta de Pedopsiquiatria com atraso de mais de 150 dias em sete hospitais

Os dados são "muito preocupantes", tendo em conta que o Serviço Nacional de Saúde conta apenas com 136 pedopsiquiatras a nível nacional, segundo a ACSS.

Este ano há mais hospitais a ultrapassar os tempos de espera por uma primeira consulta de Psiquiatria da Infância e Adolescência em comparação com 2020. Os dados, recolhidos no portal dos tempos médios de espera entre maio e julho deste ano, são avançados pelo jornal PÚBLICO.

Atualmente, há sete hospitais onde o tempo de resposta vai além dos 150 dias (cinco meses) definidos como tempo máximo de resposta garantido (TMRG) para crianças e jovens de prioridade normal e prioritário. Em 2020, nenhum hospital ultrapassava essa barreira.

Em 2021, o PÚBLICO noticiava ainda que a espera maior se verificava no Hospital de Braga, onde as crianças e jovens muito prioritários podiam esperar até três meses (93 dias) por uma consulta. Este ano, esse número desceu para os 74 dias. No Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, a espera era de 36 dias no ano passado e este ano subiu para 50 dias (quase dois meses).

O cenário é “muito preocupante”, como disse ao jornal Ana Matos Pires, coordenadora regional da Saúde Mental da Administração Regional de Saúde do Alentejo. “No Alentejo inteiro há duas [pedopsiquiatras] — uma em Beja e outra em Évora — e no Algarve está um com horário reduzido.”

De acordo com a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) existem 136 pedopsiquiatras com contrato ativo no SNS (dados de agosto de 2022), sendo que a maioria estão em Lisboa e Vale do Tejo (56), Norte (54), Centro (23), Alentejo (dois) e Algarve (um).

Quanto à Psiquiatria de Adultos, a resposta pode demorar até seis meses, cenário que já se verificava há um ano. O Hospital Distrital de Chaves é onde se demora mais a ter uma primeira consulta para adultos, com um tempo médio de espera de 195 dias (seis meses e meio) para utentes com prioridade normal.

Além de Chaves, a demora é maior do que os cinco meses definidos no Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde (177 dias), Hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre (173), e no Hospital Beatriz Ângelo, em Loures (151).

Quanto aos adultos muito prioritários, é garantida resposta no TMRG no Hospital Distrital das Caldas da Rainha (três dias de espera para a primeira consulta de Psiquiatria). O Hospital de Magalhães Lemos, no Porto, demora 17 dias para casos prioritários.

Para prioridade normal, as unidades que dão resposta mais rápida são o Hospital Nossa Senhora da Graça, em Tomar, e o Hospital de Cascais.

Segundo a ACSS, existem no país 649 médicos psiquiatras e, tal como na Psiquiatria da Infância e Adolescência, a maioria dos especialistas trabalha em Lisboa e Vale do Tejo (252 psiquiatras), seguindo-se as regiões do Norte (237), Centro (120), Algarve (23) e Alentejo (17).

No caso das consultas hospitalares de Psicologia, não constam quaisquer unidades hospitalares onde a demora ultrapasse o TMRG. O SNS conta com um total de 1091 psicólogos no SNS — 534 nos cuidados de saúde primários, 532 nos cuidados hospitalares e 25 nos serviços centrais, de acordo com a ACSS.

SO/PÚBLICO

Notícia relacionada

Depressão alastra e já afeta 42% dos jovens portugueses

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais