Médico de família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar

Hoje, mais do que nunca, a palavra de ordem é: vacinar, vacinar, vacinar!

A vacinação é uma história de sucesso global e constitui uma das medidas de saúde pública mais custo-efetivas a nível mundial. Ao longo das últimas décadas, a vacinação contribuiu para a redução da incidência e mortalidade por doenças infeciosas, tendo possibilitado a erradicação mundial da varíola e a eliminação da poliomielite de extensas áreas do planeta.

Em Portugal, o Programa de Nacional de Vacinação (PNV) deu um enorme contributo para a melhoria dos indicadores de saúde, em particular aquelas que dizem respeito às crianças e jovens Criado há mais de 50 anos, o PNV foi alvo de múltiplas atualizações ao longo dos anos, o que lhe permitiu ser mais abrangente e eficaz, garantindo uma cobertura universal e gratuita de a toda a população, promovendo assim a equidade e a igualdade de oportunidades no que toca à proteção da saúde e prevenção das doenças. O PNV permitiu erradicar, eliminar e controlar várias doenças sendo expectável o controlo do cancro do colo do útero (HPV) e da doença invasiva por Streptococcus pneumoniae (DIP).

De forma merecida, as vacinas em geral gozam de enorme credibilidade junto de profissionais de saúde e da população em geral, o que se traduz na elevada taxa de adesão às mesmas. Contudo, o surgimento de movimentos anti-vacinas, cada vez mais visíveis e significativos, leva a que tenhamos de continuar a mostrar os benefícios desta medida e pugnar pela sua utilização e implementação.

Os efeitos marcadamente positivos decorrentes da vacinação podem ser menos evidentes caso aumente o número de pessoas que a recusem, dado que a imunidade de grupo pode ser comprometida caso ocorram menores taxas de vacinação. A hesitação em vacinar constitui um enorme desafio para os profissionais de saúde e exige um grande investimento na formação e no aumento da literacia em saúde. Em paralelo, é também essencial manter e ampliar a capacidade de oferta de vacinas e de vacinação, para que possamos manter e melhorar ainda mais os resultados até agora alcançados.

Tradicionalmente os Cuidados de Saúde Primários estão na linha da frente da vacinação, em particular os médicos e enfermeiros de família. Os profissionais de saúde são aqueles em que devemos confiar para receber informações sobre vacinas, pois têm a capacidade de transmitir mensagens claras e rigorosas, baseadas na mais recente e robusta evidência científica, de modo a esclarecer dúvidas e eliminar mitos, contribuindo assim para que sejam tomadas decisões conscientes e informadas. A promoção e defesa das vacinas por parte dos profissionais de saúde permite manter a adesão e consolidar a confiança em relação às mesmas, possibilitando que todos possam beneficiar das vacinas mais indicadas para a sua faixa etária e situação clínica.

Nestes tempos conturbados de pandemia covid-19, mais uma vez a vacinação tem um papel de elevado destaque. Não há razões para desconfiarmos da ciência, que de forma extraordinária possibilitou o aparecimento de uma luz ao fundo do túnel em que vivemos há tantos meses. Hoje, mais do que nunca, a palavra de ordem é: vacinar, vacinar, vacinar!

 

Notícias relacionadas:

ler mais

RECENTES

ler mais