10 Set, 2020

Número de profissionais de saúde portugueses infetados abaixo da média mundial

Já foram infetados mais de 4500 profissionais de saúde até hoje, em Portugal, cerca de 7,5% do total, um valor abaixo da média mundial.

O número de profissionais de saúde portugueses infetados por SARS-CoV-2 ronda os 7,5%, uma cifra abaixo da média mundial de 10% estimada pela Organização Mundial de Saúde, disse a secretária de Estado Adjunta e da Saúde.

Em conferência de imprensa Jamila Madeira explicou que até ao momento foram infetados 4.551 profissionais de saúde dos quais 1.342 enfermeiros, 1.306 assistentes operacionais, 584 médicos, 166 assistentes técnicos e 146 técnicos de diagnóstico e terapêutica.

Do total de profissionais de saúde infetados desde o início da pandemia 3.892 estão já recuperados. Jamila Madeira considera que estes números comprovam a importância de apostar na proteção dos profissionais de saúde.

“Para o Governo a segurança dos profissionais de saúde continua a ser determinante na estratégia de combate à pandemia. Na permanente incerteza de que a pandemia pode exigir numa eventual segunda vaga escolhemos a certeza de garantir aos profissionais de saúde todas as condições para que possam trabalhar em segurança”, disse.

Na conferência de imprensa sobre o ponto da situação da pandemia em Portugal, a secretária de Estado adjunta e da Saúde disse que Portugal entrou numa nova fase de gestão da pandemia, garantindo que o Governo está a trabalhar para que a abertura das escolas e o regresso do país ao ritmo pós-férias tenham o menor impacto possível.

Por acreditar que os números vão sofrer alterações, Jamila Madeira explicou que o Governo está a trabalhar para dar maior robustez ao Serviço Nacional de Saúde e às estruturas sociais para que possam responder da melhor forma possível.

“Neste sentido e além das medidas preventivas já foi lançado o concurso para a aquisição massiva da reserva estratégica de equipamentos e proteção individual, um investimento de 20 milhões de euros aplicados na aquisição de máscaras cirúrgicas, respiradores FFP2 e FFP3, óculos e viseiras, fatos de proteção integral, batas de proteção, botas cirúrgicas e aventais, luvas de exame e cirúrgicas, cogulas, cobre botas e sapatos e solução assética de base alcoólica”, disse.

SO/LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais