Novo código de ética da Apormed proíbe empresas de patrocinarem profissionais de saúde de forma direta

Patrocínio para ações de formação passa a ser dado através de organizações de saúde, como sociedades científicas, universidades ou hospitais, que vão ficar também com a (onerosa) tarefa logística de levar os participantes aos eventos. Novo código entra em vigor no dia 1 de julho.

Está em vigor na Europa desde o início do ano mas em Portugal só começa a ser aplicado a partir de dia 1 de julho. O novo código de boas práticas comerciais da Associação Portuguesa das Empresas de Dispositivos Médicos (Apormed) tem como objetivo aumentar o grau de transparência e garantir a independência entre as empresas do setor do dispositivo médico, os profissionais e as instituições de saúde. A partir de domingo, as empresas de dispositivos médicos, como a Baxter, a Alcon ou a Medtronic, vão deixar de poder patrocinar diretamente qualquer profissional de saúde no âmbito de um evento.

Esta alteração vai (ou, pelo menos, pretende) acabar com décadas de relações, no mínimo, duvidosas entre a indústria e médicos, enfermeiros e outros trabalhadores da área da saúde – em que as empresas “compravam publicidade” em troca de uma verba para a formação clíni