2 Out, 2018

Noite dos investigadores no Porto apresenta pulseira ‘inteligente’ para diabetes

Pulseiras ‘inteligentes’ que medem a glicemia, ou até placas de graffiti capazes de cortar cubos de gelo foram algumas das atividades em demonstração na Noite Europeia dos Investigadores do Porto, que decorreu este fim-de-semana.

Sob o lema “Science Wars”, a iniciativa regressou ao Porto e, no Palácio das Artes, os participantes foram convidados a viajar numa ‘nave espacial’ e a experienciarem atividades onde a ciência se entrelaça com a magia, saúde e artes, mas também com o entretenimento.

Pulseiras ‘inteligentes’ capazes de medir o nível de glicemia, mas que também libertam insulina, substituindo o “convencional aparelho utilizado pelos doentes”, fizeram parte das 16 ideias em demonstração.

Em declarações à Lusa, Raquel Queiroz, do Instituto Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) explicou que a ideia, que está ainda a ser desenvolvida “pretende integrar a eletrónica e, através de sistemas inteligentes, fazer a terapia, mas também a libertação dos fármacos”.

“Este equipamento pode ser integrado numa pulseira, onde o paciente pode monitorizar os níveis de glicose e, se necessário, fazer a libertação da insulina”, contou.

Durante a noite de “Science Wars”, os visitantes podiam também participar em oficinas e “pôr as mãos no gelo”, afirmou Fátima Cerqueira, investigadora do INL. “A placa de graffiti capta a temperatura humana e, através do contacto com a nossa pele e, consequentemente com o calor do nosso corpo, a placa transfere a temperatura para o gelo, e faz com que ele se derreta e se separe”, explicou.

Pelas diversas salas do Palácio das Artes, há quem procure ideias para trabalhos escolares, mas também quem traga os mais novos para “conviverem com a realidade das ciências e ganharem o gosto”, como é o caso de Marta Santos, que acompanhou o filho nesta experiência. “Ele gosta muito da área das ciências e estas atividades são muito interessantes, porque eles não fazem este tipo de atividades na escola”, afirmou.