4 Mar, 2021

MiGRA lança sessão sobre o impacto da enxaqueca na mulher

A MiGRA Portugal lança sessão para a conhecer a influência do ciclo menstrual no surgimento da dor de cabeça e enxaqueca nas mulheres.

No âmbito do Dia Mundial da Mulher, que se assinala a 8 de março, a MiGRA Portugal organiza uma Instagram live em conjunto com a influenciadora digital Inês Almeida, sobre a importância da regulação do ciclo menstrual para a prevenção de enxaquecas e cefaleias.

A associação estende este dia organizando ainda a Semana da Mulher, uma iniciativa que decorre nas redes sociais da MiGRA Portugal e que tem como objetivo a partilha de informação sobre o impacto da enxaqueca e cefaleias na mulher. Ao longo da semana serão publicados vários vídeos informativos sobre cefaleias e enxaquecas.

A Instagram live da MiGRA no dia 8 de março contará com a presença de Inês Almeida, instrutora de perceção de fertilidade, educadora de fertilidade consciente e licenciada em enfermagem. Nesta live, Inês irá abordar a importância da regulação do ciclo menstrual para a prevenção de cefaleias, dando dicas sobre mudanças que as mulheres podem fazer ou ajudando a percecionar fatores que possam contribuir para o desregulamento do ciclo menstrual.

Ao longo da semana, a associação irá partilhar na sua conta de Facebook e Instagram vídeos realizados em conjunto com a neurologista especialista em cefaleias Dra. Sara Machado, que abordará temas como a prevalência da doença na mulher. Também o impacto do uso de métodos contracetivos, como a pílula, e a relação com o ciclo menstrual estarão em destaque nesta série.

“A enxaqueca e cefaleias são uma patologia muito comum na população feminina, afetam três vezes mais as mulheres e há vários fatores desencadeantes de uma crise que estão associados ao sexo feminino. Esta campanha que organizamos tem como objetivo falar para todas as mulheres que sofram de enxaqueca e ajudá-las a controlar e compreender melhor as suas crises”, explica Madalena Plácido, presidente da MiGRA Portugal.

“Para além destas iniciativas vamos ainda lançar o vídeo “Ser mulher com enxaqueca e cefaleias”, que juntará vários testemunhos de mulheres que vivem com enxaqueca e que podem passar as suas mensagens positivas e dicas de como controlar as crises nestas alturas”, conclui Madalena Plácido.

As cefaleias foram consideradas a segunda causa de anos vividos com incapacidade na população portuguesa dos 5 aos 49 anos. Estas estão também entre as doenças mais comuns do sistema nervoso e afetam cerca de metade da população mundial, apesar de serem muitas das vezes desvalorizadas pela população em geral. Provocam crises muito incapacitantes e têm um grande impacto no desenvolvimento de funções pessoais, mas também têm consequências na vida social, familiar e profissional e consequente impacto económico significativo.

 

Notícias relacionados:

ler mais

RECENTES

ler mais