17 Fev, 2020

Cérebro de pessoas com enxaquecas é hiperexcitável

Investigação sugere que as pessoas com enxaquecas têm um córtex visual hiperexcitável e pode ajudar, no futuro, na prevenção destes episódios.

As enxaquecas caracterizam-se como sendo dores de cabeça debilitantes e persistentes, acompanhadas por uma sensibilidade aumentada a estímulos visuais ou outros estímulos sensoriais. As causas exatas destas dores de cabeça extremas não são conhecidas, mas especula-se que estejam relacionadas com alterações químicas, nos nervos ou nos vasos sanguíneos do cérebro. Num novo estudo, publicado na revista Neuroimage: Clinical, investigadores decidiram testar a teoria de que pelo menos parte da origem das enxaquecas está no córtex visual, isto é, a parte do cérebro que é responsável pela visão.

 O Dr. Terence Chun Yuen Fong, principal autor do estudo, explicou: “A maioria das pessoas com enxaquecas também relatam experimentar sensações visuais anormais no dia-a-dia, por exemplo, alucinações, desconfortos visuais e extrema sensibilidade à luz. Acreditamos que isso sugere uma ligação entre as enxaquecas e a presença de anormalidades no córtex visual. Os nossos resultados forneceram a primeira evidência para essa teoria, tendo dobservado um padrão específico de resposta cerebral entre as pessoas que sofrem de enxaquecas “.

O estudo foi realizado por pesquisadores do Centre for Human Brain Health and School of Psychology na University of Birmingham, e do Department of Psychology, da Lancaster University. A equipa aleatorizou um grupo de 60 voluntários, metade dos quais sofria regularmente de enxaquecas. Os participantes tiveram de olhar para um padrão com uma grelha com riscas e avaliá-lo de acordo com o grau de desconforto visual que este causava.

Posteriormente, os participantes foram submetidos a um eletroencefalograma (EEG), no qual os investigadores foram capazes de rastrear e registar padrões de ondas cerebrais quando os estímulos visuais foram apresentados.

Em ambos os testes, os pesquisadores encontraram uma resposta maior no córtex visual entre o grupo de pacientes que sofria regularmente de enxaquecas.

Contudo, o estudo também levou em consideração os resultados observados num subgrupo de indivíduos que não sofriam de enxaquecas, mas que relataram igualmente distúrbios visuais adicionais, uma característica comum das enxaquecas. Surpreendentemente, verificou-se que esses participantes também mostraram hiperexcitabilidade na resposta do córtex visual.

O Dr. Ali Mazaheri, outro dos autores do artigo, explica: “O nosso estudo fornece evidências de que provavelmente existem anomalias específicas presentes na maneira como o córtex visual de pessoas que sofrem de enxaqueca processa informações do mundo exterior. No entanto, suspeitamos que isso seja apenas parte do panorama, uma vez que os mesmos padrões de atividade também podem ser vistos em pessoas que não sofrem de enxaquecas, mas são igualmente sensíveis a certos estímulos visuais “.

O próximo passo nesta pesquisa será monitorizar o grupo ao longo do tempo para ver se a resposta aos estímulos visuais destes indivíduos muda à medida que se aproxima um episódio de enxaqueca e tentar mapear que outras mudanças fisiológicas podem ocorrer. Esta monitorização poderá abrir o caminho para a possibilidade de prever as dores de cabeça da enxaqueca e ajudar a prevenir o seu aparecimento.

SO/ScienceDaily

ler mais

RECENTES

ler mais