11 Out, 2017

Médicos do Norte estão hoje em greve

Os médicos da região norte estão desde as 00h00 de hoje em greve, num dia de paralisação regional que se irá repetir nas próximas semanas nas restantes zonas do país.

A greve foi convocada pelas duas estruturas sindicais – Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e Federação Nacional dos Médicos (FNAM).

Os médicos reclamam a redução de 18 para 12 horas semanais no serviço de urgência, assim como a diminuição dos utentes por médico de família de 1.900 para 1.500. Os sindicatos médicos queixa-se de que estão há um ano em “reuniões infrutíferas” com o Governo, apesar de numa das últimas reuniões, o Ministério da Saúde ter acordado uma das reivindicações sindicais: a redução de 200 para 150 horas anuais obrigatórias de trabalho suplementar.

Ontem, o secretário-geral do SIM, Roque da Cunha, afirmou que na segunda-feira houve uma última reunião com o Ministério da Saúde que “não foi conclusiva”. Os sindicalistas lembram que o atual Ministério “é o que quer pôr os médicos mais velhos a fazer urgência”, “quer pôr os médicos mais novos a pagar para saírem do Serviço Nacional de Saúde no fim do internato” e que “não abre o concurso para recém-especialistas hospitalares”.

Esta greve vai afetar sobretudo consultas e cirurgias. Os serviços mínimos estão garantidos e abrangem urgências, tratamentos oncológicos e cuidados intensivos.

SO/SF

 

ler mais

RECENTES

ler mais