18 Mar, 2021

Hospital da Feira já recuperou 86% das cirurgias canceladas devido à pandemia

Das 1.940 cirurgias que tiveram que ser canceladas devido à pandemia, o Centro Hospitalar do Entre Douro e Vouga já conseguiu realizar 1.667.

O Centro Hospitalar do Entre Douro e Vouga (CHEDV), que tem sede no Hospital de Santa Maria da Feira, anunciou que está de regresso à “normalidade” por já ter recuperado 86% das cirurgias canceladas devido à covid-19.

Gerindo também os hospitais de Oliveira de Azeméis e São João da Madeira, essa entidade do distrito de Aveiro revela que, “das 1.940 cirurgias que tiveram que ser canceladas desde março de 2020 devido à pandemia, o CHEDV já conseguiu realizar 1.667”.

As restantes 273 cirurgias, por serem de caráter não-urgente, foram “reagendadas para os próximos dois meses”.

Dizendo-se “muito empenhado” nessa estratégia de recuperação, o presidente do conselho de administração do CHEDV, Miguel Paiva, declara: “O esforço de salvar vidas no contexto da covid-19 obrigou-nos a concentrar esforços nesses doentes, o que limitou a capacidade de resposta a outros, com maior prejuízo para os que aguardavam cirurgia. É hora de recuperar essa atividade e acreditamos que o conseguiremos fazer até ao final de junho”.

Durante o período mais intenso de resposta à pandemia, as especialidades mais afetadas pelo atraso acumulado na atividade dos blocos operatórios foram Ortopedia, no contexto da cirurgia convencional, e Oftalmologia, no âmbito da de ambulatório.

Já a Consulta Externa foi menos afetada pela pandemia, tendo-se até verificado “uma redução da lista e dos tempos de espera”.

Miguel Paiva realça que, “neste momento, a lista de espera para consultas referenciadas pela rede de cuidados de saúde primários tem 5.765 marcações”, 89% das quais “dentro do tempo máximo de resposta garantido” – parâmetro esse que também “tem melhorado”.

Igualmente positiva, segundo o administrador do CHEDV, foi a resposta aos casos que exigiram cirurgia urgente ou oncológica: “No ano de 2020, mesmo com a pandemia, realizámos um total de 13.511 cirurgias, o que só representou menos 1.232 face a 2019, quando ainda não havia covid”.

O administrador dos Hospitais da Feira, Oliveira de Azeméis e São João da Madeira defende, por isso, que o CHEDV está agora “num ritmo de trabalho próximo daquele que se verificava antes da pandemia”, o que não invalida que essas três unidades mantenham “disponíveis e preparados todos os meios do Plano de Contingência contra a covid-19”.

Notícias Relacionadas

ler mais

RECENTES

ler mais