29 Dez, 2016

Freguesia do Parque das Nações cria Banco Solidário que empresta canadianas e cadeiras de rodas

A Junta de Freguesia do Parque das Nações, em Lisboa, tem em funcionamento um banco solidário para a cedência gratuita de equipamentos como canadianas e cadeiras de rodas

Intitulado “Banco de Ajudas Técnicas”, o projeto abrange “equipamentos básicos para uma recuperação da pessoa que partiu a perna e que, por exemplo, precisa de canadianas e andarilhos”, disse à agência Lusa a vogal da Responsabilidade Social da autarquia, Conceição Palha.

“Sentimos necessidade de desenvolver este banco com base em solicitações que nos faziam”, assinalou a autarca, referindo que os principais pedidos feitos à Junta de Freguesia “eram para cadeiras de rodas, que são caras e demoram seis meses a ser atribuídas pela Segurança Social”.

A funcionar no Gabinete de Enfermagem da Junta do Parque das Nações, localizado na zona poente da freguesia, este banco solidário tem o intuito de melhorar a mobilidade e autonomia de quem dele necessitar.

Para aceder aos equipamentos – de forma gratuita -, os fregueses têm de preencher um requerimento de apoio social, apresentar uma prescrição médica e assinar um termo de responsabilidade. Em caso de danificarem os equipamentos, têm de os pagar.

Questionada sobre o tempo máximo das cedências, Conceição Palha referiu que “é o tempo que o médico tiver prescrito, podendo ir até seis meses”.

Ainda assim, a responsável ressalvou que o projeto “não abrange deficiências, [já que] um deficiente precisa para toda a vida”. “Aí têm de ser ativados os mecanismos da segurança social”, indicou.

Da lista de equipamentos, fazem também parte almofadas de gel, apoios de braço, bengalas, joelheiras, entre outros.

Alguns foram disponibilizados pelo hospital CUF Descobertas, que funciona na freguesia, pela Ordem dos Médicos Dentistas e por particulares.

“O resto, nós adquirimos”, apontou a vogal da Junta, falando num investimento de cerca de mil euros.

Conceição Palha adiantou que o objetivo é que esta seja uma “lista dinâmica”, razão pela qual a autarquia vai fazer, no início do próximo ano, uma campanha para angariação destes equipamentos junto dos habitantes da freguesia.

Ao longo deste primeiro mês de funcionamento, cerca de 20 pessoas já utilizam o banco solidário, algumas das quais já tinham apoio da Junta neste âmbito.

Ainda no domínio da Ação Social, Conceição Palha divulgou que está a funcionar há dias o projeto “Apadrinhamento de famílias carenciadas”, que visa o apoio, por parte de empresas da zona, a agregados carenciados durante um ano.

O objetivo é que as companhias prestem, através dos seus colaboradores, apoio em questões como a alimentação, a habitação, o acompanhamento escolar, entre outras.

Até agora está apenas uma empresa associada – a que gere o Meo Arena -, que apoia um casal jovem com dois filhos, mas a Junta pretende expandir este número.

“Diria que, se conseguíssemos colocar seis famílias a serem apadrinhadas durante um ano, era muito bom”, apontou a responsável, admitindo que “gostaria muito de ir buscar famílias com jovens, porque as bolsas de estudo, ao nível das empresas, funcionam muito bem”.

Segundo números da autarquia, na freguesia do Parque das Nações existem cerca de 500 famílias carenciadas, das quais 137 vivem no limiar da pobreza.

ler mais

RECENTES

ler mais