Consulta de esclerose múltipla do Santa Maria corre “sério risco” de fechar por falta de médicos

Resta um médico para atender mais de 900 doentes, denuncia o CDS. Ministra da saúde admite problema.

“Só há um médico especialista em esclerose múltipla no serviço de neurologia. Eram cinco e agora é apenas um, que tem a cuidado 900 doentes de esclerose múltipla”, afirmou a deputada do CDS Teresa Caeiro na comissão parlamentar de Saúde, onde hoje está a ser ouvida a ministra Marta Temido.

Sobre a consulta de esclerose múltipla no hospital Santa Maria, que pertence ao Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte, a deputada do CDS vincou que a situação se está a tornar “insustentável” e que o serviço “corre sérios riscos de encerrar”.

Em resposta às questões do CDS sobre esta consulta, a secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, disse apenas que a esclerose múltipla é “uma doença complexa um tratamento complexo”, sendo importante assegurar que os doentes são tratados de modo adequado e de forma atempada.

Ministra da Saúde admite problemas

 

O Ministério da Saúde admite que é “muito elevado” o número de doentes em consulta de esclerose múltipla com apenas um único médico no hospital Santa Maria, adiantando que está a tentar encontrar alternativas para resolver o problema.

“É um tema que já nos tinha sido transmitido e estamos a procurar acompanhar com o maior cuidado. O número de doentes que está sob consulta de um único profissional é muito elevado. Temos de encontrar uma alternativa”, afirmou a ministra da Saúde, Marta Temido, em declarações aos jornalistas no final da comissão parlamentar de Saúde onde hoje foi ouvida sobre a política geral do Ministério que tutela.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais