15 Jan, 2021

Cirurgias oncológicas. DGS já tinha definido quais os casos prioritários

Tumores do aparelho digestivos e neoplasias hematológicas, por exemplo, têm máxima prioridade. Hospitais vão ter agora que operacionalizar orientações no terreno.

Pouco claro. É assim que Luís Costa, presidente do Colégio de Oncologia da Ordem dos Médicos, classifica o despacho elaborado na quarta-feira pelo Ministério da Saúde, e que ordena o adiamento das cirurgias  programadas de prioridade normal ou prioritária desde que não implique risco para o doente.

“O despacho emitido pela senhora ministra não é claro, não vai ao detalhe sobre estas situações e não é esclarecedor”, disse o médico oncologista, em declarações ao Diário de Notícias. Se, por um lado, a DGS já emitira orientações, em abril, sobre o escalonamento das cirurgias a doentes oncológicos, por outro, diz Luís Costa, os procedimentos a adotar vão depender muito da capacidade de cada unidade hospitalar.

“Há os critérios de priorização gerais definidos num documento da DGS, mas depois há a prática e quando há doentes que não estão abrangidos por todos os critérios compete às unidades resolver o problema”, sublinha.

Segundo a norma da DGS, de abril de 2020, têm máxima prioridade os tumores com hemorragia ou obstrução do tubo digestivo ou da via aérea, as neoplasias malignas de células germinativas, as neoplasias não hematológicas com comportamento biológico agressivo, e as neoplasias hematológicas. Depois, como prioritários, surgem os cancros de pulmão, esófago, estômago, pâncreas exócrino, além de cancros malignos do sistema nervoso central.

“Num ambiente de escassez é preciso saber como se fazem escolhas”, diz José Dinis, diretor do Programa Nacional para as Doenças Oncológicas. “As administrações regionais de saúde e os hospitais vão ter agora que operacionalizar estas orientações no terreno. Na prática, cada hospital vai ter que ver quais os doentes que tem em agenda para operar nos próximos dias e quais são os mais urgentes [dentro dos prioritários]”, explica, em declarações ao Público.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais