A farmacêutica Bluepharma vai atribuir um prémio internacional de 50 mil euros ao melhor projeto científico do concurso Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra, destinado a reconhecer o trabalho de investigadores portugueses na área das ciências da saúde.

Segundo Sérgio Simões, vice-presidente para a área do desenvolvimento do negócio e do produto da Bluepharma, trata-se de um prémio “muito orientado para premiar individualidades e grupos de investigação que tenham desenvolvido trabalho científico em instituições que tenham na equipa investigadores ou cientistas portugueses”.

Nesta parceria da farmacêutica com a Universidade de Coimbra “a ideia é a de que os investigadores e cientistas portugueses, estejam em Portugal ou não, concorram com os seus projetos, que podem transformar-se em produtos ou serviços de alto valor acrescentado”.

De acordo com Sérgio Simões, “a ideia é estimular um bocadinho as instituições científicas e os cientistas a proporem as suas ideias com vista a haver algum financiamento da parte da Bluepharma para que eles possam continuar o seu trabalho e desenvolvam aquilo que se chama uma prova de conceito”.

O melhor projeto recebe inicialmente um prémio no valor de 20 mil euros, que poderá receber um apoio suplementar de 30 mil euros depois de provada a sua viabilidade de mercado.

“A prova de conceito é, por exemplo, desenvolver um protótipo ou conjunto de estudos que demonstrem o potencial terapêutico. Demonstrado esse potencial, estamos disponíveis para dar mais 30 mil euros e com eles criar uma empresa, uma ‘startup’, uma ‘spin-off’ ou o modelo que for para levar o projeto por diante”, frisou Sérgio Simões.

O vice-presidente para a área do desenvolvimento do negócio e do produto da Bluepharma considera que, “para além da reputação e da qualidade da ciência, também é muito importante a proteção do conhecimento”.

“E este é também um prémio que tende a resvalar muito para que os investigadores se preocupem não apenas em publicar, mas também em proteger o conhecimento, como sendo a única forma de criar valor em cima do trabalho que fizeram, nomeadamente as patentes”, sublinhou.

Citado num comunicado da Bluepharma, o vice-reitor da Universidade de Coimbra responsável pela área da investigação e inovação, Amílcar Falcão, destaca a importância do alinhamento estratégico desta iniciativa com o investimento feito na criação e agregação de massa crítica de qualidade na área da saúde.

As duas entidades “têm feito um percurso exemplar de colaboração, que os seus caminhos entrecruzam-se de tal forma, que me parece difícil contar a história das duas últimas décadas da Bluepharma sem mencionar a Universidade de Coimbra e vice-versa”, referiu.

As candidaturas para o Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra, que é atribuído bienalmente, estão abertas até 02 de março e o melhor projeto será anunciado em maio.

Na avaliação do melhor projeto pesa “o mérito, a originalidade, a inovação e o contributo de projetos científicos com elevado potencial de transformação em produtos ou serviços, com real interesse para a sociedade”.

LUSA/SO

ler mais