1 Out, 2020

Vacinas contra Meningite B, Rotavírus e HPV já estão no PNV

Inclusão das vacinas no Programa Nacional de Vacinação representa uma poupança de centenas de euros para as famílias.

Com um reforço de quase 11 milhões de euros, o Programa Nacional de Vacinação (PNV)  ganhou músculo financeiro e passa, a partir de hoje, a contar com mais três vacinas: meningite B, rotavírus e HPV (sendo que, no caso do HPV, se trata de um alargamento aos rapazes).

Meningite B

A vacina contra a meningite B poderá ser administrada de forma gratuita, nos centros de saúde, a todos as crianças nascidas a partir de 2019. Como a imunização contra o vírus que provoca a doença é feita em três doses (aos 2 meses, 4 e 12 meses), as crianças que ainda só receberam uma ou duas doses poderão receber a restante (ou restantes) de forma gratuita até aos cinco anos.

A introdução desta vacina no PNV é uma medida positiva para a saúde financeira de muitas famílias. Cada dose tinha um custo de 95 euros, o que perfaz um despesa total de 285 euros, sendo que esta vacina é fortemente recomendada pelos pediatras. O pediatra Luís Varandas sublinha que, apesar de ser uma “doença rara”, há cerca de 40 casos por ano em Portugal, sendo que é uma doença “potencialmente fatal em menos de 24 horas” e que não tem outra forma de proteção além da vacina.

Todos os anos morrem entre duas a três crianças em Portugal com meningite B e pelo menos 20% de todos os casos da doença ficam com sequelas para toda a vida. Um estudo já feito em Portugal sobre esta vacina demonstrou uma eficácia de proteção da vacina da meningite B acima dos 80%.

Rotavírus

Já a inclusão no PNV vacina contra o rotavírus, que provoca gastroenterites, também era pedida há muito pelos pediatras. Cerca de 50% das gastroenterites (muito comuns) são causadas por este vírus, sendo que as crianças até aos três anos são as mais atingidas (algumas desenvolvem até infeção graves, que obrigam a internamento hospitalar), explica a pediatra Isabel Esteves. No Reino Unido, a introdução da vacina demonstrou, por exemplo, uma redução de cerca de 90% dos internamentos por rotavírus.

Sem comparticipação, esta vacina tem um custo de 57 euros. Contudo, apenas vai ser administrada de forma gratuita a crianças de alguns grupos de risco, que ainda serão definidos pela DGS.

HPV (rapazes)

Quanto à vacina contra o Papiloma Vírus Humano (o HPV), que já estava incluída no PNV para as mulheres (de modo a prevenir o cancro do colo do útero, é agora alargada aos rapazes. A decisão surge nas sequência de evidência científica divulgada nos últimos anos, que aponta para um benefício na prevenção de lesões genitais e anais e carcinomas orais.

“A investigação epidemiológica tem demonstrado em inúmeros países que os cancros da orofaringe e da cavidade oral, apesar de serem raros, têm aumentado imenso de incidência“, sublinha a médica Isabel Esteves. “Há uma carga de doença significativa que podia ser evitada [com a vacinação dos rapazes]”, diz Luís Varandas.

Sem comparticipação, esta vacina é a mais cara das três: cada dose custa 136 euros, sendo que o esquema vacinal é constituído por três doses.

No caso dos rapazes, são duas doses, feitas aos 10 anos, com um intervalo de seis meses.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais