18 Dez, 2018

Sindicato exige indemnização e apoio psicológico para familiares das vítimas do acidente do INEM

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) exige que o Governo indemnize os familiares dos mortos no acidente do helicóptero do INEM e quer apoio psicológico para as famílias.

Em comunicado divulgado esta segunda-feira, o Sindicato “exige que o Governo determine a constituição de uma comissão arbitral ‘ad hoc’ para indemnização dos falecidos no acidente do INEM”.

Muitos médicos trabalham para o INEM em regime de prestação de serviços e o Sindicato teme que não haja a devida proteção nestes casos, como admitiu à agência Lusa o secretário-geral do SIM, Jorge Roque da Cunha, estimando que representem mais de metade dos médicos que trabalham para o instituto.

A queda do helicóptero do INEM no sábado à tarde no concelho de Valongo causou quatro mortos: um médico, uma enfermeira e dois pilotos.

O SIM aproveita para lembrar que há mais de três anos que vem exigindo a abertura de uma mesa negocial para celebrar um acordo coletivo de empregador público dos trabalhadores médicos do INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica.

O Sindicato considera que estes profissionais do INEM, que “estão especialmente expostos ao risco acrescido do dano de morte (…) ou de incapacidades permanentes”, não têm um “quadro de proteção sócio-profissional completo a cargo do Estado”.

“Queremos, a bem da segurança portuguesa, profissionais médicos do quadro do INEM com a garantia de que possuem condições mínimas de trabalho e de segurança pessoal”, afirma o comunicado, lembrando que muitos trabalhadores médicos do INEM laboram em regime de prestação de serviço ou enquanto funcionários de um hospital.

O sindicato entende que nem por isso podem estar fora “do perímetro da responsabilidade que é do INEM: “Este instituto é o beneficiário das funções que [os profissionais] exercem, sem esquecer que o INEM detém receitas próprias de muitos milhões de euros resultantes dos seguros”.

O SIM exige também que seja prestado apoio psicológico aos familiares das vítimas da queda do helicóptero.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais