Remodelação da urgência do Hospital de Águeda arranca até ao final do ano

O conselho de administração do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) garantiu hoje que as obras de requalificação do serviço de urgência do Hospital de Águeda vão arrancar, “com toda a certeza, antes do final do ano”.

A informação surge depois de a concelhia de Águeda do PSD ter alertado para a necessidade de as obras previstas para o hospital local “avançarem o quanto antes, após anos e anos de falsas promessas”.

Numa nota enviada à Lusa, o CHBV refere que está agendada para a próxima semana uma reunião entre o presidente da Câmara de Águeda e a presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar para definir o plano financeiro da obra.

“O processo está a seguir os trâmites legais, sendo que, depois de ter sido lançado o concurso para a execução da obra, decorreu o período de respostas às contestações. Neste momento, está já na posse do Serviço de Gestão e Aquisição de Materiais”, adianta a mesma nota.

Há quase um ano o Governo autorizou o Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) a investir cerca de um milhão de euros na remodelação do serviço de Urgência do Hospital de Águeda.

O projeto vai ser financiado por fundos comunitários, no valor de 522 mil euros, e pelo próprio CHBV, em 180 mil euros, sendo os restantes 600 mil euros comparticipados pela Câmara de Águeda.

A obra, que deverá demorar cerca de um ano, prevê a requalificação do serviço de Urgência e da área dos meios complementares de diagnóstico, que inclui a imagiologia e o laboratório.

Na altura, o então presidente do Conselho de Administração do CHBV, Aurélio Rodrigues, disse à Lusa que o principal “aspeto qualitativo” desta obra é que vai permitir separar o atendimento de crianças do atendimento de adultos.

“Na atual urgência está tudo junto e no novo projeto haverá um circuito autónomo para adultos e outro para crianças, cumprindo-se as regras de boas praticas clínicas de não misturar crianças mais vulneráveis com os adultos”, disse o mesmo responsável.

A obra prevê ainda a criação de uma plataforma de ligação entre o edifício principal e o edifício lateral, que passará a ser a entrada da Urgência e onde será criada uma zona de espera dos familiares.

Durante o período em que decorrerem as obras, as Urgências vão funcionar em instalações alternativas preparadas para o efeito.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais