7 Dez, 2016

“Pressão inabitual” na Urgência do Hospital de Santo António

O Serviço de Urgência do Hospital de Santo António (Centro Hospitalar do Porto) “foi sujeito a uma pressão inabitual” nos últimos três dias, quer em números de doentes, quer em complexidade dos motivos de acesso, disse hoje fonte daquela unidade de saúde.

“Esta situação levou a constrangimento na capacidade de internamento, com permanência de doentes na Área de Decisão Clínica (vulgo SO)”, afirmou a fonte, referindo que “o número de doentes simultaneamente nas instalações do Serviço de Urgência chegou aos 150 (em investigação, em tratamento ou em observação)”.

Em resposta a esta situação de aumento da procura, “foram abertas 20 novas camas” em enfermarias de Medicina Interna.

De acordo com a fonte, a maioria dos casos está, fundamentalmente, associada a problemas respiratórios de cidadãos idosos.

“Ao meio dia de hoje, os doentes emergentes e muito urgentes (cores de triagem vermelha e laranja) estão a ser observados de imediato; os doentes urgentes (cor amarela) estão a ser observados em até 90 minutos. Há vinte doentes em observação (uns serão internados, outros poderão terá alta)”, sustentou.

A fonte do Hospital de Santo António disse à Lusa que “estes dias coincidiram com mudanças de instalações, visando o aumento da área disponível e da sua operacionalidade (abertura de uma área dedicada às especialidades cirúrgicas e deslocalização da Ortopedia)”.

LUSA/SO

 

ler mais

RECENTES

ler mais