21 Dez, 2020

“Portugal mantém uma elevada prevalência de infeções associadas aos cuidados de saúde”

A propósito da Semana Mundial de Uso Consciente de Antibióticos, falámos com especialistas na área da microbiologia sobre a importância da prevenção da resistência antimicrobiana. O especialista em medicina interna abre este conjunto de entrevistas a falar da prevalência e dos custos da resistência aos antibióticos a nível nacional.

Quando estamos a falar de bactérias resistentes ao tratamento com antibióticos estamos a falar essencialmente de que bactérias?

Quando estamos a falar em bactérias resistentes, falamos essencialmente do grupo ESCAPE, nomeadamente o enterococcus faecalis e o enterococcus faecium, o staphylococcus aureus, o género de bactérias klebsiella pneumoniae e acinetobacter baumannii e as pseudomonas aeruginosa.

Quais são os dados de Portugal relativamente às infeções associadas aos cuidados de saúde?

Segundo os dados do estudo PPS [Point prevalence survey of healthcare-associated infections and antimicrobial use in European acute care hospitals] de 2016/2017, Portugal mantém uma elevada prevalência de infeções associadas aos cuidados de saúde – 9,1% versus uma média europeia de 6,5%, com uma incidência estimada de 5,9% versus 4,1% de média europeia.

Dessas infeções associadas aos cuidados de saúde, mais de 30% são causadas por bactérias resistentes. Em 2015, estas infeções associadas aos cuidados de saúde por bactérias multirresistentes atingiram, em média, 66 pessoas e causaram três mortes diariamente.

 

Quais são as previsões para o período de 2015-2050 para Portugal relativamente às infeções associadas aos cuidados de saúde?

Segundo um relatório da OCDE, se não existirem medidas adequadamente implementadas, são esperados 16 mil óbitos por ano, 800 dias extra de hospitalização por 100 mil habitantes por ano e um gasto anual de 500 mil dólares por 100 mil habitantes relacionado unicamente com o tratamento das infeções associadas aos cuidados de saúde causadas por bactérias multirresistentes.

E como podemos combater o atual cenário das infeções associadas aos cuidados de saúde em Portugal?

Portugal é dos países que mais beneficia de uma política de investimento nesta área, sendo as medidas baseadas nas medidas de higienização das mãos, da higienização hospitalar e a efetiva implementação de programas de antimicrobial stewardship hospitalar as que apresentam os maiores benefícios.

 

ler mais

RECENTES

ler mais