27 Jul, 2021

Ordem dos Médicos reitera necessidade de nova matriz de risco

De acordo com o bastonário da OM, esta nova matriz permite perceber os efeitos da vacinação na evolução da pandemia covid-19, o que garante “uma imagem real daquilo que está a acontecer”.

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM), Miguel Guimarães, voltou a reforçar a necessidade de se confirmar uma revisão da matriz de risco. Este defende que o indicador proposto pela OM há duas semanas permite perceber os efeitos da vacinação na evolução da pandemia da covid-19.

“A partir do momento em que a vacinação começou a acelerar, passámos a ter uma situação que não estava a ser contemplada na matriz de risco do Governo, que é a questão da gravidade da doença”, sublinhou, à agência Lusa, Miguel Guimarães.

Segundo explica, a proposta apresentada ao Governo e elaborada em colaboração com o Instituto Superior Técnico (IST) acrescenta, aos dois indicadores existentes (incidência e transmissibilidade), uma visão sobre a letalidade, internamentos em enfermaria e internamentos em unidades de cuidados intensivos.

“Nós cumprimos a nossa missão”, disse o bastonário, considerando que estes novos indicadores são “a melhor forma de proteger a economia e a saúde”. “Este indicador, como engloba e tem a ponderação dos vários dados, dá-nos a imagem real daquilo que está a acontecer”.

De acordo com o que foi apresentado, a proposta permite identificar outras tendências que possam merecer uma atenção particular, relacionadas com o progresso da vacinação ou com o aumento da percentagem de jovens internados com covid-19.

Neste âmbito, o Ministério da Saúde, junto da Lusa, disse que esses dados já são considerados nas decisões sobre a pandemia. A mesma justificação foi dada também à OM numa carta entregue na segunda-feira, a qual remeteu eventuais alterações para depois da reunião do Infarmed que decorre hoje.

SO/LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais