24 Mai, 2021

Novos casos de infeção aumentam 65% no concelho de Lisboa

Concelho já deve estar na linha vermelha de 120 casos por 100 mil habitantes. Governo já deu orientações para que se aumente a testagem.

Na última semana, o número de diagnósticos de infeção por SARS-CoV-2 em Lisboa aumentou 65%. Foi o maior crescimento desde o início do desconfinamento. A Direção Geral da Saúde (DGS) confirmou ontem que cerca de duas dezenas de casos estão ligados aos festejos do título do Sporting.

Nos últimos sete dias (de sábado a sábado), foram confirmados 1316 novos casos em Lisboa, enquanto na semana anterior tinham sido registados 798. Duas dezenas de casos foram associados aos festejos do Sporting, mas são uma minoria. Ao Jornal i a DGS refere que “as celebrações do campeonato de futebol não explicam a totalidade do fenómeno

Esta subida de casos fez com que nos últimos 14 dias, a capital do país registasse 118 casos por 100 mil habitantes, o triplo da incidência dos concelhos à volta, que também registaram uma subida nos diagnósticos.

“A incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes no concelho de Lisboa tem tido uma tendência crescente desde o início do mês de maio, seguindo um padrão nacional em termos de distribuição etária, já que se verifica uma maior incidência na população de adultos jovens. Este crescimento, lento e gradual em Lisboa, é multifatorial. Desde logo, é uma consequência natural do desconfinamento, que tem sido faseado, e de outros eventos, verificando-se a ocorrência de casos em contexto familiar/social, escolar ou laboral. são por agora uma minoria”, explica a DGS.

Nesta altura, Lisboa já deve estar na linha vermelha estabelecida pelo Governo de 120 casos por 100 mil habitantes. Durante este fim de semana tornou-se público um surto ligado a um casamento na Azambuja, com 120 convidados.

O Governo já reuniu o gabinete de crise de Lisboa e deu orientações para que se intensifique a testagem em concelhos com mais de 120 casos por 100 mil habitantes. O Ministério da Saúde explicou ao Jornal i que se pretende “testar um conjunto de segmentos fundamentais, como já aconteceu no passado: ensino, empresas e função pública”. O ministério salientou ainda que “no ensino, por exemplo, haverá uma intensificação da testagem em estabelecimentos de ensino secundário e superior”.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais