18 Dez, 2018

Ministra da Saúde chamou “criminosos” aos enfermeiros mas já pediu desculpa

Marta Temido telefonou à bastonária dos enfermeiros a pedir desculpas. "Marca um ponto de viragem" na relação entre enfermeiros e ministério, considera Ana Rita Cavaco. As duas partes têm uma reunião decisiva esta terça-feira.

A ministra da Saúde já pediu desculpa aos enfermeiros pelas declarações feitas este fim-de-semana numa entrevista ao Diário de Notícias e à TSF. Marta Temido disse que até agora se tem recusado a iniciar conversações com os enfermeiros em greve pois isso seria beneficiar “o criminoso, o infrator”.

A ministra telefonou à bastonária dos Enfermeiros a pedir desculpas, esta segunda-feira, e Ana Rita Cavaco aceitou. De acordo com um comunicado da Ordem dos Enfermeiros, emitido esta segunda-feira, a ministra “pediu desculpa a todos os enfermeiros, na pessoa da Bastonária, Ana Rita Cavaco, esclarecendo que em circunstância alguma teve intenção de chamar “criminosos” aos enfermeiros”.

“Num telefonema realizado esta segunda-feira, a senhora ministra pediu à Bastonária que aceitasse as suas desculpas e as transmitisse a todos os enfermeiros, garantindo que o uso da expressão em resposta aos jornalistas não teve intenção de ofender os enfermeiros”, acrescenta o comunicado.

Na primeira grande entrevista que concedeu desde que foi nomeada ministra da Saúde, em Outubro, Marta Temido foi questionada sobre sobre se admite iniciar as negociações com os enfermeiros que estão a fazer greve aos blocos operatórios, tendo respondido: “Isso nem sequer seria correto para com as estruturas que decidiram dar-nos o benefício de continuar à mesa e a negociar connosco. Isso estaria a privilegiar, digo eu, o criminoso, o infrator”.

Ana Rita Cavaco considera mesmo que o facto de a ministra se ter retratado, telefonando à Ordem dos Enfermeiros a desculpar-se pelas afirmações que tinha proferido, “marca um ponto de viragem” na relação entre enfermeiros e Ministério da Saúde. “Há um caminho que está aberto para o diálogo, que se vai fazer na quarta-feira quando tivermos a reunião com a ministra e, se vai acabar com a greve ou não, tudo depende daquilo que o governo estiver disposto a ceder“, disse à TSF a bastonária dos enfermeiros.

“Eu penso que neste momento, ao dia de hoje e com a conversa que tive com a ministra, há aqui um ponto de viragem nessa intransigência do governo”, conclui a bastonária.

Saúde Online

ler mais

RECENTES

ler mais