18 Ago, 2022

Mais de 95% da população de São Miguel com médico de família nos próximos meses

Sem adiantar prazos, o secretário regional da saúde especificou, que tal vai acontecer “garantidamente" até ao final do ano.

O secretário da Saúde do governo açoriano reiterou hoje que mais de 95% da população de São Miguel vai ter médico de família nos próximos meses e destacou o investimento de 2,3 milhões no hospital de Ponta Delgada.

Em declarações aos jornalistas, após uma reunião com a administração do Hospital Divino Espírito Santo (HDES), em Ponta Delgada, Clélio Meneses realçou o reforço do número de médicos de família em São Miguel.

“Em São Miguel, contratando os médicos de família nos procedimentos que estão a ser concluídos, ficaremos com mais de 95% da população abrangida por médico de família, o que é um avanço muito grande”, declarou.

“Concretizando-se os processos de contratação neste momento em curso, estamos a falar de uma questão de meses. Não quero adiantar [prazos] porque pode haver alguma reclamação”, reforçou.

Clélio Meneses destacou ainda o investimento de 2,3 milhões de euros “só em equipamentos” para o HDES, ao abrigo do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), que vai “permitir a renovação e a atualização” da unidade de saúde.

“Relativamente ao HDES estão previstos cerca de 2,3 milhões de euros e metade desse valor já está em processo de curso. O que significa que até ao final do ano, em princípio, metade desse valor já está adjudicado”, assinalou.

O secretário Regional reconheceu que “continuam a existir grandes problemas estruturais ao nível do financiamento e de recursos humanos” no hospital de Ponta Delgada, mas enalteceu o trabalho do atual executivo açoriano que tomou posse em novembro de 2020.

Segundo disse, enquanto a nível nacional “todos os dias estão a sair profissionais” do serviço público de saúde, na região, nos últimos 18 meses, passaram a existir “mais profissionais de saúde”, “mais consultas” e “mais cirurgias”.

“Só no HDES existem mais cerca de 14 enfermeiros do que existiam há um ano e meio e mais 25 médicos do que existia há um ano e meio. Estamos num movimento contrário àquilo que se passa a nível nacional e, também por isso, é que temos esses melhores resultados”, insistiu.

Quanto à pandemia de covid-19, o governante considerou que a “situação está a normalizar-se”, não exigindo “cuidados específicos para o início do ano letivo”.

Já em 09 de fevereiro, Clélio Meneses tinha adiantado à Lusa que o hospital de Ponta Delgada iria ser alvo de obras de ampliação no valor de três milhões de euros, a partir de setembro.

A contratação de médicos de família foi revelada em 11 de maio, durante um debate na Assembleia Regional, quando o secretário da Saúde anunciou a contratação de 79 médicos com “vínculo permanente”, reforçando a Unidade de Saúde de São Miguel com oito profissionais, permitindo que 97% da população da ilha tenha médico de família.

“A Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel ficará com 97% da população com médico de família. Neste momento, temos 20.911 pessoas sem médico de família. Quando o processo [de contratação] ficar concluído, haverá menos 16.289 pessoas sem médico de família”, declarou então o governante.

LUSA

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais