28 Out, 2016

Infeção por Zika detetada pela primeira vez na Birmânia

A Birmânia detetou a primeira infeção pelo vírus zika no país, numa mulher grávida, segundo a imprensa estatal. A Organização Mundial de Saúde alertou no início do mês para a possibilidade de o zika se espalhar pela Ásia, depois de ter sido detetado em 70 países no mundo

A Birmânia detetou a primeira infeção pelo vírus zika no país, numa mulher grávida, segundo a imprensa estatal.

A Organização Mundial de Saúde alertou no início do mês para a possibilidade de o zika se espalhar pela Ásia, depois de ter sido detetado em 70 países no mundo, incluindo 19 na região da Ásia-Pacífico.

Apesar de o vírus, ligado a malformações à nascença, estar presente no sudeste asiático há anos, aumentou o número de casos na região nos últimos meses.

“As autoridades confirmaram a infeção numa mulher estrangeira de 32 anos, após um teste de laboratório”, informa o jornal estatal Global New Light of Myanmar, acrescentando que a mulher estava em Rangum, a maior cidade do país.

O jornal citava o Ministério da Saúde e Desporto que indicou que este é “o primeiro caso de infeção zika” no país.

O vírus zika causa sintomas pouco severos na maioria das pessoas, incluindo febre e erupções cutâneas.

No entanto, os riscos são mais elevados para as grávidas, cujos bebés podem nascer com microcefalia, uma malformação que gera cérebros e cabeças mais pequenos do que o normal.

Um relatório da Organização Mundial de Saúde divulgado este mês alerta que a região da Ásia-Pacífico corre o risco de assistir a “novos casos e possivelmente novos surtos de zika”.

É “muito provável” que o vírus “se propague mais na região”, incluindo China, Japão, Austrália, a maioria das nações do sudeste asiático e ilhas do Pacífico, diz o relatório.

Pelo menos 400 casos de zika foram detetados em Singapura, enquanto a Tailândia registou no mês passado os primeiros casos de microcefalia ligados ao zika em dois bebés.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais