O conselho de administração do CHUC revela que “determinou a abertura anual de um concurso para seleção de dois projetos de investigação clínica e/ou translacional, atribuindo, para cada projeto, um financiamento máximo de 15 mil euros e definindo um prazo de até dois anos para a sua execução”.

A decisão surge no âmbito do novo Regulamento Interno do Centro Hospitalar, que “a investigação, nomeadamente de natureza translacional e clínica, faz parte do núcleo essencial da missão” da instituição.

“Na verdade, só a criação de conhecimento e a inovação, baseada em investigação própria e em rede com outras instituições, permitem a sustentabilidade e o crescimento do CHUC como instituição de referência a nível nacional e internacional, que pauta o seu agir por elevados padrões de diferenciação clínica, técnica e científica, e de qualidade e segurança”, sublinha o CHUC.

A administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra tinha aprovado anteriormente as condições para a “alocação dos montantes recebidos das entidades promotoras de ensaios clínicos”, tendo reservado 15% daquela quantia para “reinvestimento em investigação clínica em saúde, para apoio aos ensaios clínicos da iniciativa do investigador e para apoio à formação interna na área da investigação clínica”.

Além de financiar dois projetos por ano de investigação clínica em saúde, o CHUC também vai atribuir “um prémio anual às duas melhores publicações em áreas clínicas distintas, no valor de 500 euros por publicação, desde que tenha como primeiro ou último autor um profissional” do Centro.

“O apoio à formação interna por meio da realização de um congresso anual de investigação clínica, bem como de ‘workshops’ em investigação clínica, a realizar pela Unidade de Inovação e Desenvolvimento (UID), com o apoio do Serviço de Formação do CHUC”, é outra das medidas agora adotadas pela administração do estabelecimento.

Para o presidente do Conselho de Administração, Fernando Regateiro, “sendo a criação de conhecimento uma das bases essenciais de sustentação da elevada diferenciação clínica, técnica e científica que o CHUC hoje evidencia”, estas decisões “são viva e natural expressão da valorização” que a instituição atribui à “criação de conhecimento e à sua divulgação, bem como ao fomento de condições para que mais e melhor conhecimento seja criado”.

Ao CHUC “não bastam ser a maior instituição hospitalar do País e um hospital universitário, nem, muito menos, um conselho de administração que se sinta confortável e cómodo com a contemplação desta realidade”, sustenta, citado pelo CHUC, Fernando Regateiro.

“Estas condições foram herdadas e são fruto do esforço das gerações de responsáveis e profissionais que nos antecederam e a melhor maneira de honrar essa herança é acrescentar algo mais, o que apenas o investimento na criação de conhecimento pode assegurar”, conclui.

SO/LUSA

ler mais