22 Jul, 2019

Governo voltou a falhar meta. Afluência às urgências continua a aumentar

Registaram-se mais 47 mil atendimentos no ano passado, o que corresponde a um aumento de 0,75%.

É um objetivo traçado desde o início da legislatura mas que o Ministério da Saúde ainda não conseguiu cumprir: diminuir, em 3,5%, a procura pelas urgências hospitalares. Em 2018, de acordo com dados de monitorização dos serviços de urgência do Portal do SNS, a afluência voltou a aumentar, segundo avança o Jornal de Notícias.

No total registaram-se 6,36 milhões de atendimentos nas urgências dos hospitais portugueses, mais 47 mil que no ano anterior. Aliás, desde 2015, quando o atual governo assumiu funções, apenas num ano se registou uma quebra da procura pelas urgências. Foi em 2017, ainda assim com uma variação de apenas 1,4%. Em 2016, a afluência já tinha subido 1,4% e, no ano passado, aumentou 0,75%.

O objetivo de reduzir em 3,5% o número de atendimentos nas urgências hospitalares tinha sido fixado logo em 2015 pelo ex-ministro da saúde Adalberto Campos Fernandes. A ser atingida, a meta permitiria poupar aos cofres do SNS cerca de 50 milhões de euros. No entanto, mesmo tendo aumentado a cobertura de médicos de família e a utilização da linha Saúde24, a procura pelas urgências não dá sinais de abrandamento.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais