21 Mar, 2019

Gilead apresenta abordagem inovadora no tratamento da infeção por VIH

O inovador medicamento é o primeiro de uma nova classe terapêutica, os inibidores da função da cápside (o invólucro de origem proteica dos vírus, que protege e facilita a proliferação do vírus) do VIH-1

A Gilead Sciences, multinacional farmacêutica líder na investigação e desenvolvimento de anti virais, acaba de anunciar os resultados de dois estudos que suportam a continuação do desenvolvimento de uma nova classe de medicamentos que oferecem uma acção prolongada, uma das necessidades ainda por satisfazer no tratamento da infeção por VIH, cujas opções terapêuticas, mesmo as mais avançadas, obrigam à toma diária de medicamentos.

A confirmarem-se os resultados agora anunciados, os doentes poderão “libertar-se” da necessidade da toma diária, optando pela administração endovenosa do inovador fármaco, que actuará por um período prolongado de tempo.

O novo medicamento, ainda em fase experimental ainda não foi aprovado globalmente por nenhuma entidade reguladora e a respetiva segurança e eficácia não foram ainda estabelecidas, adverte a Gilead.

Em comunicado, a empresa explica que se trata de um inibidor da função da cápside (o invólucro de origem proteica dos vírus, que protege e facilita a proliferação do vírus) do VIH-1, com potencial utilização como parte de uma combinação terapêutica para a infeção por VIH, de ação prolongada. Dados provisórios de um estudo de Fase 1, realizado em participantes saudáveis, demonstraram que doses únicas de GS-6207 até 450 mg, administradas subcutaneamente, atingiam níveis de concentração sustentados e eram bem toleradas. Separadamente, dados in vitro demonstraram potência picomolar com o GS-6207, inclusive contra estirpes de VIH resistentes a outras classes de antirretrovirais (ARV). Os dados foram apresentados no âmbito do CROI, que decorreu em Seatle (Conference on Retroviruses and Opportunistic Infections).[i],[ii]

“Estes estudos indicam que o GS-6207, um inibidor da cápside em investigação, que é o primeiro da sua classe, pode representar uma abordagem inovadora ao tratamento da infeção por VIH, devido às suas características de ação prolongada e à potente atividade antiviral observada in vitro”, afirmou John McHutchison, AO, MD, Chief Scientific Officer e Head of Research and Development, Gilead Sciences. “Os dados apresentados suportam o avanço do GS-6207 para a fase seguinte de ensaios clínicos, que visa compreender mais profundamente o seu potencial papel, como fármaco de ação prolongada, no tratamento de pessoas com infeção por VIH”.

A Gilead iniciou um estudo de Fase 1b do GS-6207 em pessoas com infeção por VIH.
O GS-6207 é um medicamento experimental e não foi aprovado globalmente por nenhuma entidade reguladora; a respetiva segurança e eficácia não foram estabelecidas. Não há cura para a infeção por VIH ou para a SIDA.

ler mais

RECENTES

ler mais