27 Set, 2022

Falta de consumíveis nos centros de saúde obriga médicos a levar papel de casa

A situação é particularmente grave na região de Lisboa, denuncia o Sindicato Independente dos Médicos, acrescentando que as queixas dos médicos não têm sido ouvidas.

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) denunciou a falta de consumíveis nos centros de saúde, que já obrigou os médicos de família à “utilização de papel trazido de casa” para receitas e requisição de exames.

“Têm caído em saco roto as queixas dos médicos de família sobre a falta de papel e consumíveis nos centros de saúde, uma situação que ocorre transversalmente em todas as administrações regionais de saúde, mas sobretudo em Lisboa”, diz o SIM em comunicado.

Após “semanas de utilização de papel trazido de casa pelos profissionais de saúde”, a estrutura sindical perspetiva agora a “necessidade de apelar aos doentes para eles mesmos trazerem o papel” para a impressão das suas receitas e dos pedidos de exames.

O sindicato avança ainda que, depois de “repetidos ofícios a alertar para o problema e a exigir soluções”, sente-se obrigado a “tornar público que os responsáveis, durante sete anos a proclamar o seu amor e compromisso com o Serviço Nacional de Saúde, não têm capacidade de resolver este simples problema”.

“Para lá da denúncia pública, questiona-se se haverá necessidade de ser criado um movimento de subscrição pública nacional tipo `crowdfunding´ para mitigar este problema”, adianta o SIM

SO/LUSA

Notícia Relacionada

Reportagem. Como jovens médicos e enfermeiros revolucionaram o centro de saúde do Martim Moniz

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais