29 Abr, 2022

Exercício físico e depressão, por Gustavo Jesus

O psiquiatra Gustavo Jesus salienta no seu IG que há agora mais evidência para a recomendação de prática de atividade física com vista à melhoria da Saúde Mental.

“Foi publicada este mês uma meta-análise (que agrupa vários estudos, com um total de participantes superior a 190 mil – o que lhe dá bastante credibilidade) que reforça uma ideia que já tínhamos: fazer exercício físico diminui o risco de desenvolver depressão.

Segundo este estudo, fazer desporto, mesmo que abaixo dos níveis recomendados pela OMS, ajuda a prevenir a depressão, mas fazer mais exercício do que o recomendado não traz beneficio adicional (ver gráfico no slide 2).

As evidências permitem-nos agora recomendar, com maior grau de certeza, a prática de exercício para a melhoria da saúde mental. Mas atenção, não é uma panaceia: segundo estes dados, apenas 1 em cada 9 casos de depressão seriam evitados se toda a população fizesse exercício físico nas doses recomendadas, o que quer dizer – como aliás já sabíamos – que há muitos outros fatores envolvidos.

Além disso, é importante lembrar que prevenir não é tratar! Isto quer dizer que fazer exercício diminui o risco de vir a ter depressão, mas uma vez estabelecida a doença é necessário tratamento, ou seja, medicação e psicoterapia. O exercício, e o mesmo é valido para a alimentação, são provavelmente bons complementos ao tratamento, mas, por si só, não tratam uma doença”.

 

Gustavo Jesus

Psiquiatra | Diretor clínico do PIN | Docente da FMUL

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Print Friendly, PDF & Email
ler mais