20 Jul, 2021

Estudo confirma que cafeína não influencia ritmo cardíaco

A cafeína não é diretamente responsável por provocar arritmias e até pode reduzir a ocorrência de alterações no ritmo cardíaco.

O consumo de cafeína não está associado a alterações do ritmo cardíaco e o café pode até reduzir o risco de ocorrência de arritmias em 3%, segundo um novo estudo publicado no JAMA Internal Medicine.

Os sucessivos alertas associados à influência do consumo de cafeína no registo de alterações do ritmo cardíaco motivaram a equipa de investigação liderada por Gregory Marcus a analisar dados de mais de 386 mil pacientes que foram incluídos num estudo de saúde britânico de longo prazo.

Depois de terem sido questionados sobre o consumo de café, durante um período de acompanhamento de 4,5 anos, os investigadores confirmaram que, do total de participantes, cerca de 17 mil desenvolveram um problema cardíaco.

No entanto, após uma comparação das suas respostas e uma análise da probabilidade de desenvolverem um ritmo cardíaco anormal no futuro, os especialistas revelaram que não havia nenhuma ligação entre a cafeína e os distúrbios do ritmo cardíaco, mesmo quando foram considerados fatores genéticos que estão associados ao modo como os indivíduos metabolizam a cafeína.

“Não encontrámos evidências, neste nível populacional, de que aqueles que consumiram mais café ou aqueles expostos a mais cafeína experimentaram um risco elevado de arritmias”, concluiu Marcus. “A maioria das pessoas, mesmo aquelas com arritmias, deve poder desfrutar da sua chávena de café e talvez, para algumas pessoas, este consumo pode ajudar a reduzir este risco”.

No entanto, o especialista revela que em alguns indivíduos, a cafeína “pode funcionar como um gatilho, mas a evidência crescente é que esses casos são realmente muito raros”.

Conheça o estudo aqui.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais