18 Jan, 2018

Especialistas reunem em Lisboa para debater presente e futuro da insuficiência cardíaca em Portugal

O VIP Executive Art’s Hotel, em Lisboa, prepara-se para receber, amanhã, entre as 14h00 as 15h30, a reunião anual do Grupo de Estudo de Insuficiência Cardíaca (GEIC), da Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) que vai vai promover um debate público e político que pretende alertar as entidades governamentais e a população, para uma doença que afeta 400 mil portugueses e que mata mais que o cancro

O VIP Executive Art’s Hotel, em Lisboa, prepara-se para receber, amanhã, entre as 14h00 as 15h30, a reunião anual do Grupo de Estudo de Insuficiência Cardíaca (GEIC), da Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) que vai vai promover um debate público e político que pretende alertar as entidades governamentais e a população, para uma doença que afeta 400 mil portugueses e que mata mais que o cancro. A conferência aberta “A insuficiência cardíaca em Portugal: hoje e amanhã”, contará com palestrantes nacioanais e estrangeiros, bem como com dirigentes da saúde. A ideia, explicou ao SaúdeOnline a Professora Cândida Fonseca, Presidente do GEIC, é “sensibilizar os decisores para esta patologia que mata mais do que o cancro e que é responsável por elevados gastos para o SNS. E sensibilizar, também, os médicos da Medicina Familiar, que são quem primeiro recebe estes doentes.

Segundo a especialista, “dados de estudos mostram que se nada se fizer, em 2030 haverá uma prevalência de insufiência cardíaca 30% superior à atual. Com correspondente aumento dos custos associados”.. Uma realidade que leva o GEIC a defender “um melhor e mais rápido diagnóstico e referenciação  para centros especializados, de modo a evitar descompensações, que comprometem a evolução da doença e aumentam os custos”, que de acordo com dados oficiais representam entre 1 e 3% do orçamento para a Saúde dos países desenvolvidos.

O debate, para além da intervenção de especialistas médicos, contará com a presença de representantes de entidades reguladoras do setor da Saúde e será precedido de uma apresentação, a cargo do Prof. Miguel Gouveia, sobre o estudo “Custo e carga da doença”. A investigação foi realizada pelo Centro de Estudos de Medicina Baseados na Evidência (CEMBE), da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, em colaboração com o Centro de Estudos Aplicados da Católica Lisbon School of Business & Economics

ler mais

RECENTES

ler mais